TRT determina que 80% dos ônibus de SP operem em horários de pico

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 4 de fevereiro de 2003 as 00:18, por: cdb

O TRT (Tribunal Regional do Trabalho) de São Paulo determinou que 80% da frota de cada linha de ônibus da cidade opere nos horários de pico: das 5h às 8h e das 17h às 20h.

Nos demais horários, as empresas deverão manter operação de 60% dos ônibus. A decisão é da presidente do TRT, juíza Maria Aparecida Pellegrina, atendendo a pedido do Ministério Público do Trabalho.

A greve das empresas de ônibus começou por volta da 0h desta segunda-feira e prejudica cerca de 3,1 milhões de pessoas em São Paulo. Apenas três empresas não aderiram ao movimento e permanecem trabalhando. São elas: Santa Brígida (norte), Tupi (oeste) e Paratodos (sul).

De acordo com o TRT, o descumprimento da determinação acarretará aos responsáveis uma multa diária no valor de R$ 50 mil e uma outra no valor de R$ 10 mil, caso ocorram “manifestações que possam constranger ou ameaçar direitos de terceiros, causar ameaça ou dano à propriedade ou pessoa ou bloqueio de trânsito”.

Uma audiência de conciliação entre motoristas, empresários de ônibus e a SPTrans para tentar um acordo e colocar fim à greve, inicialmente marcada para às 18h de hoje, foi adiada para às 13h desta terça-feira.

Greve

Por causa da greve, vans e estações do Metrô ficaram lotadas.

A SPTrans contabilizava, até o final da tarde, 79 ônibus tiveram os pneus esvaziados ou foram depredados. Eles pertencem às empresas que não aderiram ao movimento. Não há registro de feridos.

O locaute (paralisação pelos próprios donos das viações) seria motivado pela indefinição sobre os contratos emergenciais das viações com a prefeitura, vencidos na última sexta-feira e não renovados.

O secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, esteve reunido com empresários e representantes do sindicato dos motoristas e cobradores para tentar acabar com a greve. Não houve entendimento.

Tatto disse que o motivo da greve é a implantação do novo modelo de transporte na cidade. A medida é criticada por empresários e funcionários.

Metrô lotado

Pela manhã, os moradores tiveram de recorrer às peruas, que ficaram lotadas no horário de pico. Quem optou por tirar o carro da garagem enfrentou congestionamento.

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) não registrou aumento do congestionamento durante a tarde de hoje.

O metrô, porém, ficou lotado. Segundo a empresa, a Linha Lilás (Capão Redondo -Largo Treze) teve um aumento de 150% no número de usuários. O horário de funcionamento da linha foi estendido e irá até as 20h – normalmente fecha às 16h.

Segundo o Metrô, o aumento de passageiros foi de 21,9% na Linha 2 (Ana Rosa – Vila Madalena), 14,9% na Linha 3 (Corinthians-Itaquera – Barra Funda) e 5,7% na Linha 1 (Jabaquara a Tucuruvi).

Rodízio liberado

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) registrou às 9h30 recorde do ano no período da manhã, com 95 km de vias com problemas.

A prefeitura suspendeu o rodízio de veículos e liberou as faixas exclusivas de ônibus e o estacionamento na zona azul da cidade. Hoje também é dia de volta às aulas.