Japão restringe sistema de defesa antimíssil

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 9 de janeiro de 2005 as 12:38, por: cdb

O Japão usará seu sistema de defesa com mísseis somente para derrubar mísseis que estejam viajando em direção ao seu território, em decisão que pode irritar seu maior aliado, os Estados Unidos, disse neste domingo a agência de notícias <i>Kyodo</i>.

Citando fontes do governo, a agência disse que a decisão foi tomada no sábado, seguindo a constituição pacifista do Japão, que o governo interpreta como algo que proíbe a autodefesa coletiva.

Não havia ninguém disponível no Ministério da Defesa para comentar.
Atordoado pelo disparo de um míssil balístico pela Coréia do Norte em 1998, que passou sobre o Japão e caiu no Oceano Pacífico, Tóquio pretende instalar um sistema de defesa de mísseis de dois estágios em 2007, com custo de 9,53 bilhões de dólares.

Os EUA provavelmente pressionarão o Japão a mudar de idéia para que o sistema seja usado para interceptar mísseis que passem sobre o Japão em direção ao território norte-americano, disse a <i>Kyodo</i>.

Se a Coréia do Norte disparasse um míssil contra o Havaí ou Guam, passaria sobre o Japão. Mas um míssil em direção ao território continental dos EUA não voaria sobre o Japão, disse a agência.

Em casos onde o alvo do míssil não puder ser previsto, o Japão tratará como se o lançamento fosse um ataque contra o seu próprio território, permitindo a interceptação, disse uma autoridade da Agência de Defesa, segundo a <i>Kyodo</i>.