Yukos corta vendas à China e preço do petróleo dispara

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 20 de setembro de 2004 as 11:07, por: cdb

Os preços do petróleo em Nova York ultrapassavam os US$ 46 nesta segunda-feira, após a russa Yukos suspender parte das exportações do produto para a China. A preocupação com o impacto dos furacões sobre a oferta dos Estados Unidos também afeta os negócios.

Às 8h50 (horário de Brasília), os contratos futuros norte-americanos avançavam para US$ 46,01 o barril, depois de atingir a máxima do dia a US$ 46,35. Em Londres, os preços do petróleo tipo Brent subiam US$ 0,25, para US$ 42,70. A máxima foi de US$ 43,17.

A petrolífera russa Yukos informou no domingo ter suspendido a maior parte de suas exportações para a China, em um primeiro sinal de problemas com as vendas externas da empresa em meio a dificuldades financeiras. Um porta-voz da Yukos disse ter suspendido as entregas para a Companhia Nacional de Petróleo da China, o equivalente a cerca de 400 mil toneladas por mês, ou 100 mil barris por dia (bpd).

– Mas a oferta para a Sinopec, de cerca de 200 toneladas por mês, continua – acrescentou.

A Companhia Nacional de Petróleo da China informou prever que a oferta de petróleo da Yukos siga normal em setembro, apesar da decisão da russa, mas preferiu não comentar sobre a oferta em outubro.