Volta às Aulas: Campanha se encerra com saldo positivo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 as 14:51, por: cdb

Quase 50 escolas visitadas, mais de 1.800 pais/motoristas conscientizados, 20 mil folders para o trabalho indisciplinar distribuídos nas escolas. Esse é o saldo inicial da Campanha Volta às Aulas realizada pelo Departamento de Educação de Trânsito da Cettrans (Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito).

Durante os 20 dias da campanha foram realizadas operações educativas em 24 escolas municipais, 14 colégios estaduais e oito colégios particulares. A partir de agora o trabalho fica por conta dos professores que podem desenvolver atividades de educação de trânsito com o material que foi repassado pela Cettrans. “Nosso foco passou a ser os pais, para que eles tenham atitudes positivas, respeitem o limite de velocidade que é de 60km/h nas principais vias, respeitem a faixa de pedestre e evitem parar em fila dupla na frente das escolas”, observa a educadora de trânsito Luciane de Moura.

A educadora ressalta algumas abordagens corriqueiras na operação, mas que mostram bem a necessidade da conscientização. “Vários pais foram flagrados sem cinto, estacionando na contramão e, uma situação bastante preocupante, com crianças menores de sete anos em motocicletas sem o uso de capacete. Na maioria dos casos, a motocicleta estava irregular e o pai não possuía a CNH”, enfatizou.

Resultados

Alguns pontos positivos da campanha já chegaram ao conhecimento da Cettrans. Um dos exemplos vem de alunos do Colégio Marista, que também tiveram o trabalho interdisciplinar em sala de aula. Agora, eles exigem que os pais entrem no estacionamento do colégio para deixá-los em segurança, fazendo uso de um túnel para chegar até a sala de aula.

Outro exemplo vem da Escola Municipal Manoel Ludigero Pompeu. Alguns pais relataram que os filhos chegaram em casa comentando sobre o trabalho em sala de aula. “Estamos felizes por isso. Primeiro porque os professores aderiram a ideia de se trabalhar a questão trânsito. E, também, porque as crianças estão mostrando que os ensinamentos estão sendo absorvidos”, concluiu Luciane.