Vôlei brasileiro se prepara para a Copa do Mundo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 7 de setembro de 2003 as 18:25, por: cdb

Assegurar a vaga olímpica na Copa do Mundo do Japão, em novembro, é o sonho das seleções masculinas e femininas de vôlei que, paralelamente, estarão na busca de outros objetivos. Enquanto os homens entrarão em quadra para se manter no topo do esporte, as mulheres têm o desafio de reconquistar e mostrar o voleibol perdido nos últimos anos.

Para o técnico da seleção masculina, Bernardinho, a preocupação inicial é a de viabilizar amistosos e um período de treinamentos antes da Copa do Mundo, prevista para ocorrer entre os dias 16 e 30 de novembro, garantindo aos três primeiros colocados vagas nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004.

Após a conquista do Campeonato Sul-Americano, no sábado, no Rio, a expectativa do treinador é a de reunir novamente o grupo a partir do dia 13 de outubro.

– Não adianta nos aprontarmos uma semana antes da estréia. Uma equipe precisa treinar e espero ter pelo menos um mês para isso”, disse Bernardinho, que nesta segunda-feira se reúne com o presidente da Confederação Brasileira de Vôlei, Ary Graça, para iniciar a programação visando à Copa do Mundo.

– Quero realizar amistosos, inclusive, antes de chegarmos ao Japão, poderíamos fazer uma mini-excursão pela Europa – disse.

Sobre as perspectivas do desempenho da seleção na Copa do Mundo, Bernardinho lembrou que, dos 12 participantes, 11 possuem chances de disputar o título. Por isso, o treinador enfatizou a necessidade dos treinamentos, que aconteceria inicialmente no Centro de Treinamento de Saquarema, região dos Lagos.

– Ficaremos de segunda à sexta em Saquarema e sábado e domingo dispensarei os jogadores. O lado bom do Centro de Treinamento é que você tem toda a tranqüilidade para treinar . Só é estressante porque fica meio afastado de tudo – frizou Bernardinho.

Mas, se Bernardinho luta para manter o alto nível da equipe, a tarefa para o técnico da seleção feminina, José Roberto Guimarães, é mais difícil. O treinador assumiu o comando do time no final de julho e terá de driblar a falta de tempo para treinamentos, as dificuldades de formação de uma nova equipe, além da adaptação a uma nova filosofia de trabalho.

Em seu primeiro teste, Zé Roberto não encontrou dificuldades para levar o time à conquista do Campeonato Sul-Americano, no sábado, na Colômbia. Mas, apesar de conseguir três vitórias, todas por 3 sets a 0, as brasileiras atuaram contra os anfitriões, o Peru e a Argentina, que estavam desfalcadas ou não possuem representatividade técnica no esporte.

Para a Copa do Mundo do Japão, entre os dias 1º e 15 de novembro, Zé Roberto deseja além de treinamentos e amistosos, montar a base da equipe, e controlar os egos das atletas para que uma nova rebelião não aconteça, a exemplo do que ocorreu com seu antecessor Marco Aurélio Motta. Na competição sul-americana, o treinador já sinalizou como pretende escalar o time.

Nos três jogos, a levantadora Fernanda Venturini, um dos destaques da competição, a meio Walewska, além das pontas Virna e Érika, tiveram lugar cativo no time.