Vivendi Universal anuncia venda de EU$ 10 bilhões para tentar sair da crise

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 14 de agosto de 2002 as 14:33, por: cdb

A Vivendi Universal anunciou, nesta quarta-feira, a sua intenção de vender pelo menos 10 bilhões de euros de ativos daqui a dois anos, dos quais 5 bilhões nos próximos nove meses, para melhorar a saúde financeira do grupo. A diretoria da empresa digulgou, ainda, uma perda nítida de 12,3 mil milhões de euros no primeiro semestre deste ano. Os números levam em conta 11 bilhões de euros de depreciação de bens ativos e 3,4 bilhões de euros de provisões financeiras. Estes 11 bilhões (diferença entre o preço de aquisição elevado destes ativos e o seu valor real atual, após a queda da Bolsa) acrescentam-se à correção de 17 mil milhões de euros medida no início do ano. A dívida do grupo, doravante dirigido por Jean-René Fourtou calcula-se hoje em torno dos 19 bilhões de euros.
a apresentação destes maus resultados passava bem junto aos investidores, até que a agência de cotação de riscos Standard & Poors anunciou o rebaixamento dos títulos da dívida a longo prazo de Vivendi Universal. A agência também previniu: se o grupo não chegar a assegurar novas linhas de crédito até de um mês ou não mostrar “nítidos progressos” nesta direcção, a nota será novamente rebaixada para “bem abaixo” do que é hoje. Por detrás destes “‘ nítidos progressos'” esconde-se realmente um acordo com os bancos: está efetivamente o objetivo de 5 mil milhões de euros em nove meses que parece ser a chave do futuro do grupo. Resultado, a ação recuava mais de 7%, às 14h. O que se pode chamar de um dia difícil para a empresa.