Vitória vira em cima do Cruzeiro

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 9 de outubro de 2002 as 23:52, por: cdb

Ao fazer 2 x 0 em apenas 29 minutos do primeiro tempo, o Cruzeiro deu a impressão que conseguiria três pontos importantes, fora de casa, diante do Vitória, nesta quarta-feira, no Barradão. Mas não passou de fogo de palha. O time mineiro permitiu a reação do rubronegro baiano, que venceu de virada, por 4 x 2, e manteve a invencibilidade em seus domínios. Com três gols, Aristizábal foi o destaque da noite.

A Raposa queria confirmar sua reação na competição, chegando a 10 pontos nos quatro últimos jogos, para voltar a figurar no grupo dos oito melhores colocados no Brasileiro. Os objetivos, no entanto, não foram atingidos pela equipe treinada por Wanderley Luxemburgo, mantendo sua sina de não vencer fora de casa. O Cruzeiro permaneceu com 23 pontos, conquistando apenas seis dos 24 pontos disputados na casa do adversário (25% de aproveitamento).

Já o Vitória passou a 24 pontos, 21 deles conquistados no Barradão, com uma performance de 87,5%. O time venceu seis e empatou três jogos em seus domínios, totalizando desde janeiro deste ano, 29 partidas sem perder jogando em Salvador.

O time baiano começou quente o primeiro tempo, exercendo forte marcação sobre o time cruzeirense, no campo do adversário, dificultando a saída de bola da Raposa. Mas os atacantes do Vitória não conseguiam finalizar a gol e, aos poucos, o time de Luxemburgo equilibrou a situação. O fogo baiano durou apenas cinco minutos e foi apagado pelo esquema cruzeirense, que impedia a criação de jogadas ofensivas pelos donos da casa.

A pressão mudou de lado e o Cruzeiro não demorou a abrir o marcador. Fábio Júnior fez boa jogada pela direita e cruzou na medida para o lateral-direito Maicon, que no papel de centroavante marcou de peixinho, aos 16min. Foi o 24º gol sofrido pelo rubronegro da Bahia e apenas o segundo de cabeça. O domínio mineiro continuou e o segundo gol saiu naturalmente, aos 29min, marcado dessa vez por Fábio Júnior.

O segundo gol cruzeirense era a senha para a torcida baiana, que não poupou vaias ao seu time. Mas o time de Luxemburgo acabou relaxando em campo e foi castigado por isso. Aos 41min, Leandro, revelado pelo Vitória, fez pênalti em Xavier, ajudando ao seu ex-time a começar a reação. Aristizábal cobrou e marcou, aos 42min, diminuindo a pressão sobre a equipe da casa, no final do primeiro tempo.

O Cruzeiro voltou para o segundo tempo sem o volante colombiano Viveros, que levou o terceiro amarelo e foi substituído por Wendell, mas a equipe viveu um momento de apagão. O Vitória aproveitou-se e empatou logo aos 5min. Mais uma vez o time celeste sofreu um gol em cobrança de falta, por intermédio de Elson, que soltou uma bomba, de longe, superando o goleiro Jefferson, que retornou após ser barrado e ficar oito partidas sem jogar.

O empate baiano motivou os dois times, que passaram a correr mais e se alternaram na criação de lances de gol. Os goleiros Jefferson e Jean foram obrigados a difíceis defesas. Luxemburgo recorreu ao talismã Alessandro, que saiu do banco para entrar em campo, disposto manter a média de quatro gols em cinco jogos, sendo escalado sempre no segundo tempo.

Dessa vez, no entanto, a mexida do treinador cruzeirense não foi bem-sucedida. O pé quente da noite foi o colombiano Aristizábal, que marcou dois gols, garantindo o 4 x 2 para o Vitória. Aos 32min, ele foi lançado por Elson e marcou, sob reclamações dos jogadores celestes, que pediam impedimento. Aos 40min, em lance parecido, o atacante do rubronegro voltou a marcar, definindo a partida. Paulo Rodrigues ainda perdeu pênalti no finalzinho.

VITÓRIA-BA 4 X 2 CRUZEIRO

Vitória-BA
Jean, Ramalho, Emerson, Marcos e Paulo Rodrigues; Xavier, Dudu Cearense, Elson e Serginho (Alecsandro); Aristizábal (Marcelo Heleno) e Leonardo (Nadson)
Técnico: Joel Santana

Cruzeiro
Jefferson, Maicon, Luisão, Cris e Leandro; Quintana, Paulo Miranda, Viveros (Wendell) e Alex; Marcelo Ramos (Alessandro) e Fábio Júnior
Técnico: Wanderley Luxemburgo

Data: 9/9/