Virgílio quer casamento político de Serra e Tasso

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 9 de janeiro de 2002 as 00:36, por: cdb

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Arthur Virgílio Neto, disse, nesta terça-feira, que é hora de o PSDB promover um “casamento político” entre o ministro da Saúde, José Serra, e o governador do Ceará, Tasso Jereissati. “Mais do que físico, é preciso um encontro de idéias”, disse Virgílio, após reunião do presidente Fernando Henrique Cardoso com governadores do Nordeste à qual Tasso não compareceu.

A aproximação dos dois caciques tucanos foi defendida no momento em que fica cada vez mais evidente o descontentamento de Tasso com a escolha do nome de Serra pelo PSDB para concorrer a presidente na eleição em outubro. “Um depende do outro”, afirmou Arthur Virgílio, enfatizando que o governador cearense tem um papel “essencial” a desempenhar na busca de apoios para a candidatura de Serra.

O ministro-chefe negou com veemência a possibilidade de Tasso apoiar a candidata do PFL, a governadora Roseana Sarney, que aparece em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto. “Tasso é tucano como eu”, disse Arthur Virgílio, dizendo que ele próprio era mais favorável à candidatura do governador do Ceará, mas passou a apoiar Serra tão logo ficou decidido que o ministro da Saúde seria o candidato tucano.

Admitindo que há “arestas a aparar” no PSDB e que “não adianta tentar dourar a pílula”, o ministro-chefe disse que é preciso encarar o problema. “Se há contrariedade, temos que enfrentar”, afirmou ele, aproveitando para elogiar o perfil político de Tasso. “Pelo que conheço dele, mesmo que estivesse indispostíssimo com o PSDB, viria ao encontro”, disse Arthur Virgílio, descartando qualquer motivo político para a ausência do governador no encontro com Fernando Henrique.