Violência doméstica

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 23 de maio de 2003 as 10:59, por: cdb

Os principais fatores que impedem a denúncia, a prevenção e os tratamentos dos problemas decorrentes da violência contra as mulheres estão relacionados ao medo, a vergonha e as deficiências dos serviços de saúde e das delegacias especializadas no atendimento à mulher.
Só conseguiremos obter a exata dimensão da violência doméstica e sexual contra a mulher, quando não houver – nem da parte delas próprias e nem daqueles que acompanham os casos, como vizinhos, familiares, amigos de trabalho etc – inibições em fazer as denúncias necessárias. Além disso, também precisamos melhorar os instrumentos para registro do problema. Contudo, os dados disponíveis revelam que a violência afeta milhares de brasileiras, independente da idade ou do grupo social a que pertencem. Na maioria dos casos, o fato acontece dentro de casa e os autores são os próprios companheiros, parentes ou pessoas conhecidas.
A cultura machista, que prega a submissão aos homens e o dever de atender a todos os seus desejos, inclusive sexuais, desdobra-se em outros comportamentos violentos. Por exemplo, de achar que o companheiro tem direito de posse sobre as filhas, justificando, desta forma, o abuso sexual cometido contra as meninas e adolescentes.
Toda mulher violentada deve ser tratada com respeito e solidariedade. Toda mulher tem direito às informações necessárias para tomar a melhor decisão nas diferentes situações, ou frente aos diversos problemas oriundos da violência doméstica e sexual. Muito já foi feito nesse sentido e muito mais ainda precisa se fazer. Ações que envolvem governos e as organizações da sociedade ganham espaço nos rincões mais indispostos a mudar. Essa vai ser uma caminhada longa, mas a certeza de chegaremos numa sociedade melhor para todos – homens, mulheres e crianças – já podemos sentir.
Um abraço, saúde e sorte.