Vilma conquista primeira vitória na Justiça

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 19 de fevereiro de 2003 as 14:20, por: cdb

Doente e abatida, a empresária Vilma Martins Costa, 51 anos, tem um motivo para comemorar: a primeira vitória na Justiça. O processo que apura o seqüestro do menino Pedrinho de um hospital em Brasília em 1986 vai para uma das varas criminais da Comarca de Goiânia.

O juiz César Laboissiere Loyola, da 8ª Vara Criminal de Brasília, acatou os argumentos apresentados pelos advogados de Vilma, que acusaram incompetência do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) para julgar o caso.

Vilma foi denunciada pelo Ministério Público do DF por dois crimes: o rapto do garoto e registro falso de Pedrinho – que, em Goiânia, virou Osvaldo Martins Borges Júnior.

Os advogados de Vilma alegaram que, de acordo com a legislação brasileira, no caso do réu responder por mais de um crime em um mesmo processo prevalece aquele considerado mais grave. A pena para seqüestro é de até cinco anos de prisão. Já o de falso registro de nascimento chega a seis anos de reclusão.