Viegas reage com cautela ao discurso de José Dirceu

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de novembro de 2003 as 01:21, por: cdb

O ministro da Defesa, José Viegas, reagiu com cautela ao discurso do ministro José Dirceu no 4º Foro Ibero-Americano, domingo, em São Paulo. Dirceu sugeriu a integração militar da América do Sul como forma de evitar que os EUA se instalem na região e até venham a ocupar a Amazônia.
 
Viegas disse desconhecer que os EUA tenham planos de aumentar o efetivo na região e explicou que o desejo do governo é que os países sul-americanos tenham estabilidade política para que não necessitem da ajuda de tropas estrangeiras.

– Não estamos falando de utilização conjunta das Forças Armadas na América do Sul. Estamos falando em estabilidade, para evitar a necessidade de chegada de outras forças à região – disse, ao esclarecer que o governo brasileiro tem interesse em que a situação na Colômbia, por exemplo, seja resolvida o mais rapidamente possível, de preferência sem ajuda externa.

Ele disse que o que se passa naquele país é um problema interno e de forma alguma o governo brasileiro vai interferir.

Ainda tentando explicar a sugestão de Dirceu, Viegas salientou que o colega se referiu ‘a um conjunto de ações’ e Forças Armadas bem disciplinadas e equipadas são fundamentais para os países manterem a respeitabilidade.
 
Segundo ele, ‘é desejável que haja integração também na indústria de defesa’, porque os países da região não têm orçamento que permita regularidade na compras de equipamentos.
 
– Estamos trabalhando para aumentar o orçamento do ano que vem – contou, ressalvando que a disposição de renovar os equipamentos bélicos ‘não é para jogar bomba em ninguém’.