Vereador entrega relatório final da CPI da Ampla

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 29 de abril de 2010 as 11:03, por: cdb

Após investigações, reuniões na Agência Nacional de Energia Elétrica (Anaeel), audiências públicas na Câmara Municipal de Niterói e também itinerantes, o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Ampla, o vereador João Gustavo (PMDB) e os demais integrantes da CPI entregarão à mesa diretora da Casa o relatório final.

O parlamentar deixou claro que a CPI foi instaurada, justamente porque a concessionária não atendeu de imediato o pedido de explicações da Casa sobre os constantes apagões na cidade e as inúmeras queixas dos contribuintes. 

Na última audiência pública da CPI, realizada na Câmara, o presidente da Ampla, Marcelo Llévenes admitiu as falhas e pediu desculpas à população, que, inclusive, foi gravado pela TV Câmara.

– Não tem nada pior para uma empresa de energia elétrica, ocorrer falta de energia. Quando isso acontece, ficamos muito mal. Quero pedir desculpas – disse Marcelo, que estava sentado ao lado do presidente da CPI, o vereador João Gustavo (PMDB).

João Gustavo lamentou a ausência de representantes da secretaria municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos e do departamento de Parques e Jardins, subordinado à Empresa Municipal de Moradia, Urbanização e Saneamento (Emusa), justamente porque são órgãos que poderiam ajudar nas investigações.

– É lamentável que representantes destes departamentos não tenham comparecido em nossas audiências públicas. Fizemos dois convites, mas nada. E olha que a presença deles seria importante porque temos os problemas das podas das árvores que são mal feitas. Estão destruindo nossas árvores, o que é muito prejudicial para o meio ambiente – atestou João Gustavo.

Enquanto os diretores da Ampla diziam que o índice de satisfação do cliente estava acima dos 60%, o presidente da CPI, vereador João Gustavo, lembrava que relatório entregue pela Anael dizia justamente o contrário.

– Estivemos em Brasília e neste relatório consta que a Ampla é a 19ª empresa de energia elétrica do País em rejeição. Repito: a CPI foi criada porque a Ampla não atendeu as nossas primeiras solicitações – afirmou João Gustavo.  

O vereador Carlos Magaldi (PP), que também integra a CPI, fez vários questionamentos ao presidente da Ampla frente a frente no momento em que ocupava a tribuna da Câmara.

– Senhor Marcelo, quanta saudade eu sinto da antiga Cerj, nós não ficávamos 12, 18 ou 24 horas sem luz. Além disso, os funcionários eram experientes e faziam a poda de árvores, por exemplo, sem assassiná-las. Mas agora fazem de qualquer jeito só para limpar a fiação da Ampla. Quando a concessionária descobre um gato leva polícia na casa do cidadão, mas quanto as suas falhas, qual é a punição? Nenhuma! – protestou Magaldi.