Venezuela faz simulação eleitoral em 1500 centros de votação

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 4 de setembro de 2012 as 13:37, por: cdb

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela realizou no domingo (2) uma simulação da eleições gerais do país, marcadas para o dia 7 de outubro. Nesse teste, o órgão, de hierarquia independente, coordenou a abertura de 1.553 colégios eleitorais em todo o país. Segundo o órgão, esta é a maior operação dessa natureza já realizada na Venezuela.

A presidente do CNE, Tibisay Lucena, afirmou em coletiva realizada pela manhã, que a votação ocorria em total normalidade. Todas as 4.832 máquinas estavam funcionando satisfatoriamente, segundo ela. O processo ocorreu até as 15h de Caracas (16h30 de Brasília), e foi realizado em 24 Estados e 329 municípios. Os votos desse domingo, contudo, não serão contabilizados para evitar a utilização política do processo.

O objetivo da simulação é fazer com que os venezuelanos possam conhecer a posição onde estão os candidatos no boleto eleitoral, assim como testar o sistema de votação. Ele é composto de cinco etapas para conclusão do voto: apresentação da cédula de identidade do eleitor e captura da impressão digital; ativação da máquina; voto na tela tátil, onde o eleitor poderá clicar na foto do seu candidato; impressão do boleto com a confirmação do voto, o depósito do voto na uma urna. Por fim, a o eleitor tem a impressão digital de seu dedo mínimo pintado com uma tinta, para garantir que ele não vote duas vezes. Tudo em um percurso na forma da letra “U” – por isso, esse sistema é conhecido como “ferradura”.

A simulação servirá também para o CNE revisar os procedimentos de instalação das mesas de votação, a agilidade do sistema e o tempo médio que cada eleitor utilizará para votar.

Credibilidade

Na sexta-feira (31), Lucena, assinou acordo de cooperação com os presidentes da Comissão Eleitoral da Índia, Shri Sampth e da Comissão Nacional Eleitoral da República da Coreia do Sul, Nung-Hwan. O acordo prevê que uma cooperação tecnológica em matéria eleitoral para os dois países asiáticos. O CNE também realizou uma auditoria no software do sistema eleitoral na presença de técnicos da Unasul (União das Nações Sul-Americanas).

Essa é uma das estratégias do CNE para comprovar a eficácia do seu sistema para os venezuelanos e o exterior, já que setores da oposição continuam afirmando que o órgão beneficia o presidente Hugo Chávez, candidato à reeleição.

Fonte: Brasil de Fato

 

..