VENEZUELA E RÚSSIA APROFUNDAM RELAÇÕES BILATERAIS APÓS ENCONTRO

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 24 de agosto de 2011 as 11:42, por: cdb

CARACAS, 24 AGO (ANSA) – O ministro de Relações Exteriores da Venezuela, Nicolás Maduro, se reuniu em Caracas com seu homólogo da Rússia, Sergey Lavrov, oportunidade em que revisaram temas bilaterais e discutiram a crise econômica mundial.
   
Entre os assuntos abordados, eles discutiram a decisão do governo de Hugo Chávez de repatriar as reservas internacionais de ouro da Venezuela como medida de proteção diante da crise mundial.
   
O mandatário venezuelano ordenou recentemente a repatriação de mais de US$ 11 bilhões (cerca de R$ 17,6 bilhões) em ouro que mantêm em bancos americanos e europeus.
   
“O traslado das reservas está sendo estudado pelo governo e ao término da análise serão feitas alianças com países emergentes como China, Rússia e Brasil”, declarou Maduro ontem, após o encontro.
   
Lavrov, por sua vez, esclareceu que corresponde ao governo venezuelano a decisão de dispor de suas reservas de ouro, uma vez que elas pertencem ao Estado.
   
Ele ainda afirmou que o encontro teve “resultados muito proveitosos e produtivos, que impulsionarão ainda mais as relações entre ambas nações”.
   
Segundo o diplomata russo, Moscou “está muito interessado que a América Latina se consolide como um dos pólos da nova ordem econômica e política, porque isso irá gerar um maior grau de sustentabilidade global”.
   
O chanceler venezuelano, por sua vez, revelou que as nações assinaram três acordos referentes à criação de um Centro da Ciência e Cultura Russa na Venezuela e uma instalação similar em Moscou para divulgar as culturas de ambos países, além de um plano estratégico de trabalho para o período entre 2011 e 2014.
   
Os dois funcionários ainda ratificaram uma declaração sobre o caráter estratégico das relações russo-venezuelanas no desenvolvimento de um mundo “pluripolar”.
   
Maduro assegurou que a Venezuela e a Rússia têm “uma visão parecida e próxima sobre a necessidade do avanço da construção de um mundo multipolar que respeite o direito internacional” e a paz de seus povos.
   
Os países ainda acordaram em cooperar nas áreas de comércio, economia, energia, transporte, agricultura, finanças, entre outros.
   
Maduro destacou que está sendo discutido um crédito à Venezuela cuja metade será destinada à infraestrutura e a outra metade “para garantir a defesa e a segurança de nosso país”.
   
Na última quarta-feira, a Força Armada Nacional Bolivariana (Fanb), da Venezuela, recebeu um carregamento de armas adquiridas da Rússia. Chávez agradeceu, na ocasião, ao presidente russo, Dimitri Medvedev, e ao primeiro-ministro, Vladimir Putin, por “todo este sistema de armas, o mais moderno do mundo, fabricado em nossa querida irmã Rússia”. (ANSA)