Venda de veículos zero quilômetro bate novo recorde no trimestre

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de abril de 2010 as 13:09, por: cdb

A venda de veículos novos estabeleceu um novo recorde no país, ao crescer 17,9% no primeiro trimestre em comparação com o mesmo período no ano passado, e emplacou 788,1 mil unidades, segundo informações da Associação Brasileira de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgadas nesta quinta-feira. O mês de março, último período com subsídios no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), foi o melhor período já registrado até hoje, com o licenciamento de 353,8 mil veículos, longe, portanto, do último recorde, de 308,7 mil unidades, registrado em setembro do ano passado.

Os carros a álcool ou flex de mil cilindradas, a partir desta quinta-feira, seguem com o IPI de 7%, menor do que o cobrado para os motores de 2 mil cilindradas, que têm o imposto fixado a 11%. Já os caminhões e utilitários leves seguem com subsídios até junho deste ano, quando a alíquota retornará a 5%. A medida do governo, de incentivar a venda de veículos durante a crise do capitalismo internacional surtiu efeito, com um acréscimo de 11,4% no número de licenciamentos no ano passado, em comparação a 2008. No período, o setor registrou o terceiro recorde anual, com 3,14 milhões de unidades registradas nos departamentos estaduais de Trânsito (Detrans).

Segundo pesquisa da Fundação Getulio vargas (FGV), o setor industrial de bens de consumo duráveis alcançaram em março 90,9% de utilização da capacidade instalada. Entre fevereiro e março deste ano, porém, a confiança dos industriais nesta área sofreu uma queda de 4,4%, após o crescimento de 0,6% do índice geral. Segundo o coordenador do Núcleo de Pesquisas e Análises Econômicas da FGV, Aloísio Campelo, em conversa com jornalistas, a queda nos níveis positivos de perspectivas dos empresários deve-se  “à expectativa do que vai acontecer com o fim do benefício fiscal, mas o impacto deve ser moderado”.