Venda de facas por camelôs no Centro do Rio assusta cariocas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 6 de junho de 2015 as 14:18, por: cdb
Sobre o caixote de papelão, armas brancas utilizadas nos recentes assaltos ocorridos no Rio
Sobre o caixote de papelão, armas brancas utilizadas nos recentes assaltos ocorridos no Rio

A venda de facas, machadinhas e outros instrumentos cortantes, muito usados em recentes assaltos na capital, tem gerado clamor público nas redes sociais. A foto de uma produtora da agência russa de notícias Sputnik Brasil, registra junto à entrada de uma estação do Metrô, em plena Avenida Presidente Vargas, no Centro da Cidade, uma bancada de camelô sobre a qual estão expostos vários modelos do produto que têm ocupado a maior parte da crônica policial carioca destes dias tão marcados pela violência urbana.

O ataque que mais chamou atenção da sociedade aconteceu em 19 de maio, resultando na morte do médico Jaime Gold, de 57 anos. Ao ver a foto de numerosas facas postas à venda pelo comércio informal no momento em que a população vive assustada pela ameaça dos assaltos com armas brancas, os internautas multiplicaram seus apavorados comentários. “Não acredito!”, postou um seguidor da produtora no Facebook. E outra amiga publicou: “Misericórdia!” Outra, ainda, escreveu: “Seria cômico se não fosse trágico”.

O espanto procede: nos últimos 15 dias houve 15 assaltos com facas no Rio, sendo um caso fatal – o do médico de 57 anos de idade Jaime Gold, atacado quando passeava de bicicleta na Lagoa Rodrigo de Freitas, em 19 de maio.