Velásquez continuará a treinar no Brasil após vitória sobre Cigano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 30 de dezembro de 2012 as 13:44, por: cdb
Velaszquez encaixa um golpe em Júnior Cigano, na luta pelo título de campeão mundial dos pesados
Velaszquez encaixa um golpe em Júnior Cigano, na luta pelo título de campeão mundial dos pesados

A derrota de Junior Cigano dos Santos para o lutador norte-americano Cain Velásquez lhe custou o cinturão dos pesos pesados do UFC. Na madrugada deste domingo, no MGM Grand Garden Arena, o brasileiro parecia perdido no octógono e foi massacrado por Velásquez, na luta que marcou revanche de um outro confronto, quando Cigano alcançou o título mundial. Radicado na Bahia, onde treina com uma equipe mista entre brasileiros e norte-americanos, Velásquez não deixou espaço para que Cigano pronunciasse seus golpes e, sem iniciativa, transformou-se em um saco de pancadas até a vitória, por decisão unânime dos jurados, para o atual campeão. Após a conquista, Velásquez garante que permanecerá no Brasil e treinará ainda mais para manter o troféu.

Cigano e Velásquez enfrentaram-se, pela primeira vez, em 12 de novembro do ano passado, quando Cigano chegou à vitória por nocaute aos 1min04s do primeiro round. O brasileiro fez a defesa de seu cinturão contra o veterano Frank Mir antes da revanche, nesta madrugada. O norte-americano, porém, não ficou parado durante o último ano e arrasou Antônio “Pezão” Silva em uma luta, realizada em maio deste ano.

No duelo contra Cigano, desta vez, Velásquez correu para tentar derrubar Cigano, mas o brasileiro de esquivou. Ainda assim, o norte-americano tentava desequilibrar o adversário. Até aí, Cigano conseguiu escapar, mas aos poucos a troca de socos passou a dominar a contenda, deixando o atleta que treina em Salvador em seu campo de atuação. Ambos conseguiam desfechar golpes e, no octógono, foi sangue para todos os lados. Velásquez, porém, conseguiu encaixar os golpes mais certeiros e efetivos, e Cigano caiu na defensiva, mantendo a guarda baixa. Este erro custou caro. Faltava 1min20s para o final do round, quando o norte-americano fez passar o um soco direto, no rosto do adversário. Aí começou o fim da luta, para Cigano, castigado até o final pelo agora campeão. O brasileiro tentou evitar novos golpes e, enquanto apanhava, esperava ser salvo pelo gongo, que enfim veio e evitou o fim da luta.

No segundo round, Velásquez chegou firme, levando Cigano ao chão e o obrigando a apresentar suas credenciais no jiu jitsu. O norte-americano conseguia com muito mais facilidade derrubar o adversário, que se manteve na defensiva, mesmo em desvantagem. Na terceira etapa, houve um certo equilíbrio, provocado pelo cansaço proprio da categoria dos pesados e a luta ficou mais lenta. Cigano limitou-se a fugir dos ataques desferidos por Velásquez. O ritmo foi ainda mais lento no quarto round.

Com apenas cinco minutos para reagir, Cigano mal conseguia se aproximar de Velásquez. No final, eram socos no ar e tentativas perdidas de decidir a disputa pelo cinturão mundial. Mas o norte-americano, sabendo de sua vantagem por pontos, tinha o tempo a seu favor. Quando o gongo soou, coube aos jurados definir o resultado com uma ampla maioria para Velásquez: 50/45, 50/43 e 50/44, que ergueu o cinturão que, até aquele momento, pertenceu a Junior Cigano.