Vasco vence na estréia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 19 de janeiro de 2003 as 10:40, por: cdb

A estréia do novo time do Vasco no Campeonato Carioca não foi empolgante como imaginavam os torcedores, mas valeu pelo resultado. O gol de Marques, aos 29 min do segundo tempo, após passe de Petkovic, garantiu a vitória de 1 x 0 sobre o América. O “quadrado mágico” não teve muito tempo para se apresentar, pois aos 22 mim Marcelinho saiu lesionado.

O primeiro tempo foi marcado pela chuva de gols desperdiçados pelo Vasco e pela inoperância do América, que não conseguiu dar sequer um chute a gol. Foram seis chances para abrir o placar, sem sucesso.

Logo aos 3 min, os torcedores que lotaram São Januário ficaram de pé para assistir o estreante Marcelinho cobrar falta da intermediária. Embora no meio do gol, o chute saiu forte, dificultando a defesa do goleiro Fábio Carvalho. No rebote, a bola sobrou para o zagueiro Rogério Correa, que acertou a trave com o gol aberto.

Dominando inteiramente as ações, o Vasco seguiu criando chances. Edinho e Henrique arriscaram de fora da área e levaram perigo ao gol do América. Aos 22 min, a decepção: Marcelinho deu um pique e parou no meio do caminho. Uma contusão muscular na coxa direita tirava o “Pé de Anjo” do jogo e trazia à memória dos vascaínos o vodu feito por alguns rubro-negros para atrapalhar a trajetória do ex-jogador do Flamengo no novo clube.

A saída de Marcelinho pareceu ter abalado o time cruzmaltino. Foram 16 minutos de sonolência que irritaram a torcida. Somente aos 38 min o Vasco voltou a assustar. Russo, um dos melhores em campo, fez jogada individual, mas chutou à direita do gol de Fábio Carvalho. No final, Ely Thadeu, que entrara no lugar de Marcelinho, entrou livre pela direita e chutou na rede pelo lado de fora.

Talvez em virtude do forte calor, o segundo tempo foi disputado num ritmo mais lento. Com Petkovic sem inspiração e Marques fora de forma, a bola não chegava em Valdir. Bem fechado, o América ameaçou pela primeira vez aos 14 min: André Biquinho chutou de fora da área e a bola explodiu na trave direita de Fábio.

Desorganizado e desentrosado, o Vasco nada criava. Muito recuado, o Diabo dificultava ainda mais as coisas para os donos da casa. Com Danilo no lugar de Ely Thadeu, o time incendiou. O gol cruzmaltino saiu após rápida troca de passes entre Bruno Lazaroni e Petkovic. O iugoslavo descobriu Marques dentro da área, o atacante girou o corpo e chutou forte, de pé esquerdo, sem chances para Fábio Carvalho.

A partir daí, só deu Vasco. Em tabela com Marques, Valdir poderia ter ampliado o placar no final, mas o chute saiu fraco, em cima do goleiro do Diabo. Os torcedores deixaram o estádio exaltando a nova equipe, sem se esquecer de atacar o ex-ídolo do clube, Romário.

VASCO 1 x 0 AMÉRICA

Vasco
Fabio; Russo (Rodrigo Souto), Rogério Correa, Rogério Pinheiro e Edinho; Bruno Lazaroni, Henrique, Marcelinho (Ely Thadeu, depois Danilo) e Petkovic; Valdir e Marques
Técnico: Antônio Lopes

América
Fábio Carvalho; Guto, Jorge Luís, Alan e Alexandre (Clécio); Zé Hilton, Carlos Eduardo, Marcelo Cardoso e Schwenk (Edivaldo); André Biquinho e Josimar (Joílson).
Técnico: Alfredo Sampaio

Data: 18/1/2003 (sábado)
Local: estádio São Januário
Juiz: Jorge Rabelo
Cartões amarelos: Allan, André Biquinho, Carlos Eduardo, Alexandre, Clécio, Zé Hilton (América); Valdir, Rogério Pinheiro (Vasco)
Gol: Marques, aos 29 min, do segundo tempo