Vasco entrega o jogo no último minuto contra o Bahia: 2×1

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 24 de abril de 2003 as 08:28, por: cdb

Com um gol de Jair literalmente no último segundo, o Bahia derrotou o Vasco por 2 a 1, de virada, nesta quarta-feira à noite, no estádio da Fonte Nova, em Salvador, no jogo de ida pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil. Preto, de pênalti, marcou o outro do Tricolor. Também de pênalti, Wellington Paulo descontou para a equipe cruzmaltina.

Agora, a equipe baiana joga por um empate na próxima quarta-feira, em São Januário. Já o time carioca pode vencer até por 1 a 0 que se classifica.

Com três cabeças-de-área e sem Marcelinho – desfalque de última hora por causa de um estiramento -, a tática vascaína foi segurar atrás e explorar os contra-ataques.

No início, não deu certo. O Bahia partiu para cima, e logo aos seis minutos o veterano Paulo Sérgio acertou um balaço de longe que explodiu no travessão de Fábio.

O Tricolor baiano seguiu mais insistente e aos 16 minutos criou outra chance. Preto cobrou falta da intermediária, a bola quicou à frente de Fábio e atrapalhou o goleiro vascaíno, que no susto pôs à córner.

O Vasco, até então pouco efetivo no ataque, precisou de apenas uma jogada para abrir o placar. Aos 23 minutos, Léo Lima lançou Marques e este foi calçado dentro da área pelo zagueiro Carlinhos, que foi expulso. Na cobrança do pênalti, no minuto seguinte, Wellington Paulo bateu à meia altura e marcou.

Mesmo com um homem a mais em campo, o Vasco se manteve cauteloso e só assustou novamente o goleiro Emerson aos 40 minutos, depois que Bruno Lazaroni recebeu de Marques e bateu rasteiro no meio do gol.

Já o Bahia, sem penetração, continuou arriscando de fora da área. Paulo Sérgio era quem mais tentava, mas esbarrava em sua própria falta de pontaria. Aos 43 minutos, ele chutou de canhota à direita de Fábio.

Em desvantagem no placar, o Bahia ensaiou uma pressão nos primeiros minutos da etapa complementar. O meia Preto deu três chutes perigosos. O melhor deles aos sete minutos, quando a bola tocou caprichosamente no pé da trave direita de Fábio.

Recuado, o Vasco voltou a dar o ar da graça aos 15 minutos. Marques driblou Emerson, mas perdeu ângulo. Cruzou, Léo Lima cabeceou para trás e Russo bateu, mas a zaga salvou em cima da linha.

O Bahia não se intimidou, manteve a coragem – mesmo com 10 em campo – e acabou premiado aos 25 minutos. Wellington Paulo cometeu pênalti duvidoso em Nonato e foi expulso. Preto bateu bem e empatou.

Animado, o Tricolor se lançou ao ataque e encurralou o Vasco em busca da virada. Aos 39 minutos, Nonato desperdiçou chance cristalina. Cara a cara com Fábio, chutou para fora. Aos 43, Marcelo Nicácio, livre, mandou por cima.

Aos 47, porém, no último lance do jogo, não houve jeito. Alex deu uma furada, Jair entrou livre e tocou na saída do goleiro vascaíno.