Vasco empata na reestéia de Edmundo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 11 de maio de 2003 as 18:19, por: cdb

A festa era para Edmundo, que vestia pela quarta vez a camisa do Vasco, mas o Bahia também acabou comendo um pedaço do bolo. O empate de 1 x 1, na tarde deste domingo, em São Januário, atrapalhou a vida do Vasco, ams poderia ter sido pior, já que o Bahia abriu o placar e resistiu à pressão até os 37min do segundo tempo, quando Cadu empatou a partida.

Cojm o resultado, o Vasco fica com nove pontos, embolado no meio da tabela e o Bahia, pulando para oito, livra-se momentaneamente da zona do rebaixamento.

O Bahia veio ao Rio para não levar gols. Muito fechado, o time exercia uma forte marcação sobre alguns jogadores do Vasco, como a estrela do espetáculo, Edmundo, Marques e Russo. Assim, as jogadas de gol no primeiro tempo foram poucas.

E a primeira, aos 9min, foi do Bahia. Nonato recebeu um bom lançamento de Preto, entrou sozinho na área, mas se atrapalhou e perdeu um gol feito. O Vasco respondeu no minuto seguinte, num cruzamento que , por pouco, não encontra Edmundo em boa posição para o chute.

Depois, o jogo ficou mais travado e só de bolas paradas o Vasco conseguia levar perigo. Como aos 33min, numa cobrança de falta feita por Danilo, que passou raspando a trave esquerda de Emerson.

Muito marcado e ainda sem ritmo, Edmundo se movimentou bem, mas conseguiu fazer pouca coisa. Destaque mesmo, apenas aos 42min, quando o Animal consegui fazer uma tabela com Marques e chutou bem de fora da área, mas em cima de Emerson.

No segundo tempo, como havia sido combinado, Edmundo saiu e o técnico Antônio Lopes pôs Souza, no ataque, ao lado de Marques. O Vasco voltou um pouco melhor e chegou a perder algumas boas chances, como a de Souza, aos 5min, chutando sozinho, mas na mãos de Emerson.

Um minuto depois, porém, o Bahi foi ao ataque, Guto cruzou da direita e Nonato,d e cabeça, venceu Wescley e Fábio, fazendo 1 x 0. Lopes, então, sacou Henrique, pôs o atacante Cadu e partiu para o tudo ou nada. A pressão aumentou e, de fato, o Vasco começou a aparecer mais diante de Emerson que, bem colocado, ficava com a maioria das finalizações do ataque vascaíno.

Aos 26min, Léo Lima, que errou muito, deu um bom chute de fora da área, mas a bola saiu raspando a trave direita de Emerson. O Bahia jogava nos contra-ataques, explorando a saída em bloco do Vasco e levava muito perigo. Aos 32min, novamente Léo Lima perdeu um gol ainda mais feito, entrando livre na área e chutando torto, para fora. A torcida não perdoou e encheu o meia de vaias.

Mas, num córner, aos 37min, Wescley cabeceu para o segundo pau e Cadu, livre, só completou para o gol, empatando a partida. O gol incendiou o jogo, que ficou completamente aberto. Os dois times ainda tiveram boas chances de gol, mas o placar ficou mesmo em 1 x 1.

Domingo, Vasco pega o Coritiba, no Couto Pereira e não poderá contar com Henrique, que levou o terceiro cartão amarelo neste domingo. Já o Bahia pega o Paysandu, sábado, na Fonte Nova.

VASCO 1 x 1 BAHIA

Vasco
Fábio, Russo, Wescley, Wellington Paulo e Wellington Monteiro; Da Silva, Henrique (Cadu), Léo Lima e Danilo; Edmundo (Souza) e Marques (Anderson)
Técnico: Antônio Lopes

Bahia
Emerson, Guto (Fabiano), Luís Fernando, Marcelo Souza e Lino; Luiz Alberto, Otacílio, Jair e Preto; Nonato e Paulo Sérgio (Adriano)
Técnico: Evaristo de Macedo

Data: 11/5/2003 (domingo)
Local: estádio de São Januário
Público:
Renda: não divulgada
Juiz: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP)
Cartões amarelos: Luiz Alberto, Lino, Otacílio (Bahia), Henrique, Da Silva (Vasco).
Gols: Nonato, aos 6min, e Cadu, aos 37min do segundo tempo.