Valas com corpos de migrantes ilegais são achadas na Malásia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 24 de maio de 2015 as 09:38, por: cdb
Valas comuns com corpos de supostos migrantes bengaleses e da etnia rohingya foram encontradas pela polícia em campo ilegal de refugiados operado por traficantes humanos no norte da Malásia
Valas comuns com corpos de supostos migrantes bengaleses e da etnia rohingya foram encontradas pela polícia em campo ilegal de refugiados operado por traficantes humanos no norte da Malásia

 

Citado pela mídia malaia, o ministro do Interior do país, Ahmad Zahid Hamidi, declarou neste domingo que policiais encontraram na semana passada diversas valas comuns com corpos de supostos migrantes ilegais.

Os policiais haviam sido enviados para impedir a atividade de traficantes e a migração ilegal no norte da Malásia, próximo à fronteira com a Tailândia. As valas comuns foram achadas perto de um campo abandonado de traficantes humanos, afirmou o ministro. Ele disse acreditar que cidadãos de seu país estariam envolvidos no crime.

Segundo diversas fontes, ali foram encontrados cerca de cem corpos de membros da minoria muçulmana rohingya. “Mas não sabemos exatamente quantos estão lá. Provavelmente, encontraremos mais corpos”, acrescentou Hamidi. O jornal The Star afirmou que uma equipe de investigação forense está a caminho para investigar os corpos.

Com base em fontes não especificadas, o jornal Utusan Malaysia informou, por sua vez, que foram descobertas cerca de 30 valas comuns com “centenas de esqueletos”. As valas estariam localizadas perto das cidades de Padang Besar e Wang Kelian no estado de Perlis.

Neste mês, a polícia tailandesa já havia encontrado campos para imigrantes ilegais na selva, em cuja proximidade as autoridades se depararam com dezenas de valas comuns com corpos de supostos migrantes bengaleses e da etnia rohingya no estado de Songkhla, junto à fronteira com Perlis.

Os membros da etnia rohingya são uma minoria em Myanmar. Como muçulmanos, eles sofrem sistemática discriminação no país de maioria budista. O governo considera os rohingya como migrantes ilegais do vizinho Bangladesh e se recusa a assumir qualquer responsabilidade pelo grupo étnico.

Milhares de pessoas fogem também de Bangladesh para escapar da miséria. Recentemente, a crise de refugiados se acirrou dramaticamente com milhares de pessoas em alto-mar à espera de ser acolhidas pela Indonésia, Malásia e Tailândia.

Sob pressão internacional, Malásia e Indonésia disseram estar dispostas a receber refugiados temporariamente. Também Myanmar já sinalizou disposição para prestar ajuda humanitária.