Vacina contra varíola pode ajudar a combater aids

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 12 de setembro de 2003 as 17:13, por: cdb

As vacinas contra a varíola, que são armazenadas pelos governos de todo o mundo como medida de prevenção a possíveis ataques bioterroristas, também poderiam ser utilizadas na proteção contra a aids, segundo a empresa farmacêutica britânica Acambis. A companhia afirmou nesta sexta-feira, em um comunicado enviado à Bolsa de Londres, que essas vacinas poderiam representar “uma grande medida de imunidade” contra a aids.

Estas são as primeiras conclusões de uma equipe da Universidade George Mason de Virgínia (EUA), que afirma que estas vacinas poderiam proteger contra o Vírus de Imunodeficiência Humana (HIV) e a aids. No entanto, a Acambis admitiu que é cedo para tirar conclusões contundentes, mas afirmou que “estas descobertas são muito interessantes” e motivam a realização de uma pesquisa mais profunda.

Durante o estudo, os cientistas coletaram amostras de sangue de dez pessoas vacinadas contra varíola e de outras dez que não foram submetidas à medida de imunização. Constatou-se, então, que no primeiro grupo os níveis de HIV não aumentavam ou o faziam em menores proporções.

Apesar do pequeno número de pessoas envolvidas no estudo, os pesquisadores assinalaram que a diferença no nível de resistência à aids entre os que foram vacinados e os que não foram é “estatisticamente significativa”.

O estudo foi motivado pela existência de uma teoria que relaciona a maior incidência de aids na África e na Ásia a um nível mais baixo de defesa imunológica contra a varíola entre as pessoas desses continentes.