UST acusa Shuí-bian de enviar mensageiro à China

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 6 de outubro de 2004 as 06:00, por: cdb

Os parlamentares da União Solidariedade de Taiwan (UST), aliados do governante Partido Democrata Progressista (PDP), acusaram nesta quarta-feira o presidente Chen Shuí-bian de enviar mensageiros secretos para a China.

O legislador Chen Chien-ming, da UST, insistiu que o dirigente de Taiwan havia enviado ao presidente do Conselho para o Desenvolvimento Industrial e Comercial (CDIC) a ilha, Kuo Tai-chiang, a Pequim para negociações secretas, em que foram feitas concessões que prejudicam o interesse nacional.

O escritório presidencial negou as acusações e garantiu que o presidente de Taiwan não conversa com Kuo há quase dois meses.

O secretário-geral do CDIC, Wang Tiao-chun, reconheceu que Kuo havia visitado Pequim como presidente do organismo e que havia conversado com altos funcionários chineses, a quem havia comunicado a postura de Taiwan de que os laços de transporte entre China e a ilha se denominassem entre os lados do estreito de Taiwan e não domésticos como exige Pequim.

Wan assegurou que os funcionários chineses receberam positivamente a petição de Taiwan.

Taiwan considera que os laços entre China e a ilha são entre dois países, enquanto que a China os qualifica de domésticos, já que Pequim afirma que Taiwan faz parte da China.

A UST se opõe à abertura dos laços diretos entre Pequim e Taipé e também os investimentos de Taiwan na China, de acordo com o pensamento de seu dirigente espiritual, o ex-presidente Lee Teng-hui.