Urbel apresenta balanço positivo do último período chuvoso aos Nudec

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 19 de abril de 2012 as 15:35, por: cdb

A Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel) apresentou na última semana a 85 voluntários dos Núcleos de Defesa Civil (Nudec) o balanço do período chuvoso 2011/2012, que mais uma vez foi finalizado com resultados positivos para os moradores de áreas de risco geológico das vilas e favelas da cidade. Apesar das fortes chuvas que castigaram o município, principalmente entre a última quinzena de dezembro e a primeira semana de janeiro deste ano, não houve registro de acidentes com vítimas causados por deslizamentos de encostas nas vilas da capital.

O diretor-presidente da Urbel, Claudius Vinícius Leite Pereira, atribuiu o bom resultado ao conjunto de intervenções da Prefeitura nas vilas e favelas. Ele destacou as ações do Programa Estrutural em Área de Risco (Pear), o Vila Viva e as obras de urbanização do Orçamento Participativo, dando ênfase à importante parceria com os voluntários do Nudec. “O diferencial do sucesso do trabalho é a participação popular, que desde 1994 ajuda a construir a história de conquistas e realizações”, disse.

Entre abril de 2011 e março deste ano, a Urbel indicou a necessidade de remoção preventiva de 372 famílias em situação de risco geológico, sendo 304 de forma definitiva e 68 temporariamente. Também foram concluídas 124 obras pelos contratos de manutenção e 151 com mão de obra da própria comunidade. Além disso, das 67 obras indicadas pelos moradores por meio do Partici-Pear, 23 já foram iniciadas. No mesmo período, 6.502 moradias foram vistoriadas pelos técnicos da Urbel e das gerências de Áreas de Risco das regionais, sendo 5.072 concentradas na época das chuvas. Foram desenvolvidas ainda diversas atividades junto aos Nudec, como curso de primeiros socorros, indicação comunitária de obras, entrega de 414 kits com equipamentos de segurança individual, reuniões técnicas sobre as ações do Pear e repasse de alertas de chuva com 2.118 contatos efetivados. “As coisas mudaram bastante onde eu moro e há muitos anos nós não temos mais tanto medo das chuvas”, disse a voluntária Margarida Maria de Paula, moradora da vila Nossa Senhora Aparecida, no Aglomerado da Serra.

Novo diagnóstico

A Urbel concluiu a atualização do Diagnóstico da Situação das Áreas de Risco Geológico das Vilas e Favelas. De acordo com o novo mapeamento, o número de edificações em situação de risco alto e muito alto caiu para 2.761, ou seja, uma redução de 27%, já que, em junho de 2009, o diagnóstico havia apurado a existência de 3.789 edi­fica­ções em mesma situação. Isso implica que 1.021 edificações saíram desta faixa de risco pelo diagnóstico recente, que come­çou a ser elaborado no final de 2010 e finalizado em fevereiro deste ano.

Segundo a diretora de Manutenção e Áreas de Risco da Urbel, Isabel Volponi, serão promovidas várias reuniões, encontros e capacitações com os Núcleos de Defesa Civil durante esse ano. “Vamos recordar conceitos, identificar situações de risco e reforçar o treinamento para fortalecer o nosso trabalho, que é contínuo. Com a ajuda do novo diagnóstico, já estamos intervindo nos 23 locais que apresentaram situação de risco muito alto para que essa realidade seja modificada até o início do próximo período chuvoso”, disse.