Universo feminino na voz de Maria Bethânia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 9 de março de 2012 as 10:18, por: cdb

A cantora encerrou, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, os eventos culturais do Dia Internacional da Mulher. No repertório, composições de Chico Buarque e Gonzaguinha

Cinara Lima, da Agência Brasília

A voz potente e cheia de emoção de Maria Bethânia ecoou no palco do Auditório Máster, do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher (8). Ao celebrar a data, Bethânia selecionou para o seu repertório canções de Chico Buarque, conhecido por ser um compositor capaz de captar as sutilezas do universo feminino. 
 
 “É uma honra para mim, no nosso dia, poder cantar bastante para vocês”, disse a baiana de Santo Amaro, que lembrou as vitórias conquistadas pelas mulheres ao longo dos anos, como a entrada no mercado de trabalho em profissões até então exercidas por homens. A intérprete destacou ainda a presidenta Dilma Rousseff. “Dona Dilma é escolhida, no voto livre, para ser a guardiã da nossa liberdade. Muito boa sorte, presidenta”, desejou a cantora.
 
O governador Agnelo Queiroz estava na plateia acompanhado da primeira-dama, Ilza Queiroz, e do secretário de Cultura, Hamilton Pereira. Entre as autoridades presentes ao evento organizado pelo Governo do Distrito Federal, encontrava-se a ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres do governo federal, Eleonora Menicucci.
 
A apresentação fez parte do programa Março Mundo Mulher, organizado pelo GDF para celebrar a data. Durante todo o dia, foram realizadas diversas ações nas cidades do DF, entre apresentações culturais, feira de artesanato, serviços e orientação jurídica. Pela manhã, o governador Agnelo Queiroz inaugurou a primeira unidade móvel de atenção à mulher, em Ceilândia.
 
Repertório – Maria Bethânia abriu o show com a canção Rosa dos Ventos. Depois, interpretou clássicos de Chico Buarque, como Baioque, Roda Viva, Gota D’Água, Apesar de Você, Samba e Amor, entre outras músicas do compositor. A intérprete cantou ainda músicas de outros compositores, como É o Amor, de Zezé de Camargo e Luciano, e Reconvexo, de Caetano Veloso.
 
Durante o show, Bethânia leu um texto em tom de oração que foi finalizado com Oração a Mãe Menininha, de Dorival Caymmi. Os poemas de Mário de Andrade também foram recitados. “Que show esplêndido. É uma homenagem maravilhosa feita por uma pessoa que valoriza em sua música a mulher e a cultura brasileira”, comemorou a funcionária pública Elizabeth Fernandes, uma das centenas de pessoas presentes à homenagem.
 
A banda que acompanhou a cantora era formada pelos músicos Reginaldo Vargas, na percussão; Márcio Mallard, no cello; Jaime Alem, no violão e na direção musical; Carlos Cesar, na bateria; Rômulo Gomes, no baixo;  e Vitor Gonçalves, no piano e acordeon. Eles apresentaram ainda uma versão instrumental de Beatriz, de Chico Buarque e Edu Lobo. Maria Bethânia encerrou o show com a plateia, de pé, cantando O que é, o que é? , de Gonzaguinha. 

Foto: Mary Leal