Universidade mexicana homenageia García Márquez

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 5 de setembro de 2003 as 11:12, por: cdb

O Prêmio Nobel de Literatura de 1982, o colombiano Gabriel García Márquez, recebeu na última quinta-feira, uma homenagem do Instituto Tecnológico de Estudos Superiores de Monterrey, um dos mais importantes do México. A universidade concedeu ao escritor o primeiro reconhecimento às Humanidades e Ciências Sociais dessa instituição educativa, diante de mais de 2.000 pessoas, que pediram que discursasse.

“Escrevo para não ter que falar”, respondeu García Márquez.

A homenagem, que foi transmitida via satélite nos 33 campus de todo o país, começou com a leitura de fragmentos de sua obra por parte dos alunos. Além disso, participaram o diretor da empresa Cemex e presidente do Conselho Tecnológico, Lorenzo Zambrano, o escritor mexicano Gonzalo Celorio e o reitor da universidade, Rafael Rangel Sostmann.

Antes da homenagem, o Nobel colombiano teve um encontro com estudantes de Literatura, Comunicação e Humanidades.

Gabriel García Márquez é um dos autores mais populares no Tecnológico de Monterrey“, comentou o reitor depois da entrega do reconhecimento.

Rangel contou que certa vez foi feita uma pesquisa entre os alunos para saber quem era o autor mais lido, e o ganhador foi o colombiano.

Gabriel García Márquez é um humano extraordinário, com uma singeleza que fez com que ganhasse o respeito de todos”, declarou Zambrano. Ele acrescentou que o escritor é um viajante incansável e lembrou que em 1965, quando Márquez visitava Acapulco, encontrou o “tom com o qual iria escrever ‘Cem anos de Solidão'”.

Destacou que o autor de “Amor em tempos de cólera” criou em 1994 a Fundação para um Novo Jornalismo Ibero-americano, que se aliou à Cemex para reconhecer os jornalistas do continente. Gonzalo Celorio afirmou que graças à obra de García Márquez, nós, latino-americanos, sabemos quem somos.

“Com ‘Cem anos de Solidão’ o continente tem sua própria Bíblia que conta a história da América Latina”, ressaltou o escritor. Antes de receber o reconhecimento, o nobel entregou os prêmios aos alunos que participaram do concurso de literatura “Mauricio Babilonia”.

O concurso se dividiu nas categorias conto e ensaio, e os primeiros lugares receberam das mãos de García Márquez uma seleção de sua obra, com direito à dedicatória, além de um computador.