Unicamp desenvolve supercomputador

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 14 de abril de 2003 as 12:51, por: cdb

Em parceria com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), A Metrom, fabricante brasileira de computadores, inaugurou hoje o Supercomputador Distribuído Arandu, o maior e mais potente cluster existente no Brasil. O projeto é fruto de recursos financeiros relacionados ao PPB (Processo Produtivo Básico), através do qual a Metron disponibilizou à Unicamp cerca de R$ 2,7 milhões para a produção do equipamento.

O supercomputador foi desenvolvido em plataforma Linux e está em sua fase inicial. O objetivo do convênio Metron-Unicamp é produzir um equipamento com 400 nós que possibilite, em até dois anos, a criação de um software de gerenciamento de servidores que será comercializado junto a grandes empresas. No entanto, este modelo é composto por 180 nós.

“O foco é utilizar o supercomputador para desenvolver pesquisas, porém algumas companhias já nos procuraram para saber da possibilidade de alugar o equipamento por um período determinado”, declara Ricardo Anido, diretor do Instituto de Computação da Unicamp.

A Unicamp, que já possuía um pequeno cluster com 66 processadores e vinha utilizando-o, entre outros estudos, para o Projeto Genoma, precisava desenvolver algumas aplicações importantes e complementares que o equipamento não suportava. “Faltavam os recursos financeiros. Nesse momento, a iniciativa da Metron foi indispensável para dar início à realização do projeto”, explica o professor.