União Européia tenta fechar acordo sobre Constituição do bloco

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 29 de novembro de 2003 as 10:17, por: cdb

Os ministros das Relações Exteriores da União Européia discutem neste sábado, em Nápoles, alguns dos temas de maior dificuldade de negociação entre seus 15 países-membros. O objetivo é produzir um acordo final para formalizar a primeira Constituição européia antes do encontro de cúpula do bloco que deve ocorrer em dezembro.

Entre os temas mais polêmicos estão um novo sistema de votação, o tamanho da Comissão Européia e questões relacionadas à herança religiosa. Os debates ocorrem meses antes da expansão do bloco em mais 10 países, marcada para maio de 2004.

Portugal e Espanha estão ameaçando bloquear as negociações caso percam concessões no sistema de votação adquiridas em 1999, no encontro de Nice.

Mas o encontro não está sendo marcado somente por diferenças. Na sexta-feira, Alemanha, França e Grã-Bretanha fecharam um acordo informal a respeito da formação de uma força de defesa conjunta para a Europa, fora da Otan, Organização do Tratado do Atlântico Norte.

Influência

Os três países devem apresentar a proposta para os parceiros da União Européia (UE) em breve, segundo fontes diplomáticas francesas e britânicas.

A proposta incluiria planos de estruturar a cooperação na defesa e a criação de um quartel-general militar europeu.

Segundo correspondentes, os Estados Unidos devem ficar insatisfeitos com o acordo, pois a proposta pode diminuir a influência da Otan na segurança da Europa.

O ministro do Exterior francês, Dominique de Villepin, disse que era crucial que a Europa continuasse com seus planos de uma defesa comum.

”Esse é um assunto chave. Não podemos ter uma Europa sem defesa”, disse à rádio francesa France-Info.

A afirmação foi feita em uma pausa da reunião dos representantes dos 15 integrantes atuais da União Europa e representantes dos dez futuros membros.

Autoridades britânicas confirmaram que o acordo foi fechado, mas enfatizaram que ainda não era uma ”solução formal”.

O acordo não vai aparecer na pauta oficial, mas deve ser colocado para outros delegados da União Européia em um jantar nesta sexta-feira, afirmaram as autoridades britânicas.

A União Européia enviou suas primeiras tropas de paz, em março, para a Macedônia. Também enviou tropas para a República Democrática do Congo, sob comando francês.

A UE está elaborando planos para substituir as tropas de paz da Otan na Bósnia.

A respeito das preocupações dos Estados Unidos em relação à diminuição da influência da Otan, uma autoridade britânica afirmou que ”qualquer operação da UE deve ser compatível com a Otan”.

Além de uma defesa comum, os países membros da UE estão discutindo uma constituição européia e simplificação da tomada de decisões para a futura ampliação da união para 25 países membros.

A Itália, que ocupa a presidência rotativa da UE, acredita que o acordo final sobre o texto ocorra neste final de semana. Mas analistas afirmam que esta é uma previsão muito otimista.