Último adeus a Itamar reúne multidão no Centro da capital mineira

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 4 de julho de 2011 as 13:40, por: cdb
Itamar
O corpo de Itamar Franco seguiu em carro aberto pelas ruas de Belo Horizonte

O corpo do ex-presidente Itamar Franco (1992-1994), de 81 anos, velado no Palácio da Liberdade, nesta capital, seguiria para ser cremado em Contagem, na região metropolitana após uma cerimônia para as últimas homenagens ao político mineiro. A cerimônia de cremação atende a um pedido do ex-presidente, e as cinzas serão depositadas no jazigo da família, no Cemitério Municipal de Juiz de Fora (MG). O amigo e ex-ministro da Casa Civil do governo Itamar, Henrique Hargreaves, disse que o ex-presidente pediu para ser cremado e que o corpo “não ficasse zanzando” pelo país.

Na véspera, aproximadamente 30 mil pessoas passaram pelo velório em Juiz de Fora. Uma longa fila se formou em frente à Câmara de Vereadores da cidade. A maioria das pessoas que esteve no velório mora em Juiz de Fora, onde Itamar começou sua carreira política como prefeito.

– Eu conhecia ele há muitos anos. A cidade perdeu um político excepcional, honesto – disse a aposentada Maria de Lourdes Almeida

No fim da tarde de domingo, foi celebrado um culto ecumênico, com a presença das duas filhas de Itamar, Georgiana e Fabiana, parentes e amigos. O velório se estendeu pela noite e a madrugada. As portas da Câmara de Vereadores ficaram abertas.

– Perdemos uma grande pessoa, que trabalhou muito pela cidade e por todo o país. Era uma pessoa humilde, que parava na rua para conversar com a gente – destacou Francisco de Assis.

Itamar Franco morreu no sábado, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde estava internado desde o dia 21 de maio. O ex-presidente teve um acidente vascular cerebral (AVC), entrou em coma e não resistiu. Ele havia sido internado por causa de uma pneumonia adquirida durante o tratamento para a cura de leucemina.

Sinceras homenagens

O corpo do ex-presidente e senador Itamar Franco foi recebido com homenagens no Palácio da Liberdade, por volta das 11h40 desta segunda-feira. Uma cantora interpretou uma música popular sobre Minas Gerais enquanto o caixão recebia uma chuva de pétalas de rosas. Recepcionado pelos Dragões da Inconfidência, guarda de honra da Polícia Militar de Minas, o corpo foi recebido pelo governador Antonio Anastasia e pelo senador Aécio Neves, as filhas de Itamar, além de outras autoridades, amigos e parentes.

A urna chegou ao aeroporto de Belo Horizonte (MG) por volta das 10h30. Ela foi recepcionada por 16 militares da Aeronáutica e colocada num carro do Corpo de Bombeiros, que saiu em cortejo pelas ruas da capital mineira. O caminhão foi o mesmo usado no traslado dos corpos do ex-presidente Tancredo Neves e do ex-vice-presidente José Alencar.

O Palácio da Liberdade, onde é feito o segundo velório, ficará aberto para a despedida da população durante o dia. Acompanhada por uma comitiva de ministros e assessores, a presidente Dilma Rousseff chega a Belo Horizonte depois das 13h. Dilma e os ministros Antonio Patriota (Relações Exteriores), Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil) prestarão as últimas homenagens ao senador eleito pelo PPS de Minas.

Já acompanham o velório, no hall de entrada do Palácio, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin, o ex-governador de São Paulo José Serra, o ex-governador de Minas Gerais, Francelino Pereira e o senador Eduardo Suplicy.

Uma fila de pessoas foi formada em frente à sede do governo à espera do corpo do ex-presidente. No primeiro lugar, aguardando para se despedir do político, estava o também Itamar, de sobrenome Condé, policial militar reformado, 48 anos, admirador do homônimo. Ele chegou às 6h com medo de enfrentar uma longa espera, como aconteceu quando compareceu ao velório do ex-vice-presidente José Alencar. Junto a ele está o cabo da reserva Francisco Gianquinto, que carrega uma foto com o ex-presidente.

Comments are closed.