UFRJ rechaça sistema de cotas para novos alunos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 21 de setembro de 2004 as 10:38, por: cdb

O Conselho de Ensino de Graduação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) divulgou documento em que rejeita a adoção do sistema de cotas na universidade. Apesar de reconhecer as condições desiguais, o Conselho afirma que a solução é investimento contínuo em ensino de qualidade.

O assunto foi discutido durante seis meses pelos 13 integrantes do conselho. Eles avaliaram se a universidade deveria destinar uma parte das vagas para alunos negros, pardos e de escolas públicas. Onze deles votaram contra a proposta.

A decisão vale para o vestibular de 2005. O tema divide opiniões entre os alunos da universidade. 

– Eu sou a favor em relação à situação econômica do aluno, não à raça – opina a estudante Jéssica Barbosa.

Para facilitar o acesso à UFRJ, o conselho tem algumas propostas: 

– A gente acha que deveriam se aumentar até o numero de vagas na universidade, aumentar o número de cursos noturnos, para dar oportunidade às pessoas que precisam trabalhar para poder estudar à noite – sugere a conselheira Ana Borralho.

Um projeto do governo federal, criando o sistema de cotas, está sendo analisado pelo Congresso. Nesta segunda-feira, o ministro da Educação, Tarso Genro, disse que respeita a decisão da UFRJ. 

– Eu considero isso um ato da autonomia universitária, que nós temos que respeitar. Agora quando for lei federal, aí todas as universidades vão ter que se adaptar. Isso é um processo de elaboração e discussão dentro do estado democrático de direito – declara Genro.