UE enviará diplomatas para o Iraque

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 3 de maio de 2003 as 08:56, por: cdb

A União Européia deve enviar diplomatas de volta ao Iraque, com o objetivo de dar apoio ao país durante o seu processo de reconstrução.

A decisão foi anunciada na reunião de ministros de Exterior dos países do bloco, que está sendo realizada na ilha grega de Rodes.

A participação da União Européia no futuro do Iraque é um dos principais temas do encontro, cuja pauta inclui a harmonização das políticas de Relações Exteriores e Defesa dos países-membros e a possível retomada do processo de paz no Oriente Médio.

A União Européia ainda está se recuperando dos efeitos da divisão que viveu nas semanas que antecederam a ofensiva militar liderada pelos Estados Unidos contra o Iraque. Alguns membros, como a Grã-Bretanha e a Espanha, apoiaram a guerra; outros, como a França e a Alemanha, se opuseram.

Oriente Médio

O ministro do Exterior da Grécia (país que ocupa a presidência rotativa do bloco), George Papandreou, disse que os participantes – entre eles representantes dos dez países que entrarão no bloco no ano que vem – querem apenas “pensar de forma profunda sobre grandes questões”.

Os ministros também fizeram um apelo para que palestinos e israelenses começem a implementar o novo plano de paz proposto por Estados Unidos, Nações Unidas, Rússia e a própria União Européia.

No almoço em que foi discutido o assunto, Papandreou disse aos colegas que a União Européia deveria continuar a lidar com o líder palestino, Yasser Arafat, apesar da tentativa dos Estados Unidos e de Israel de isolá-lo em favor do novo primeiro-ministro, Mahmoud Abbas.

“Evitá-lo faria parecer que o primeiro-ministro Abu Mazem (como Abbas também é conhecido) é o indicado daqueles que querem boicotar Arafat”, afirmou o anfitrião do encontro.

A discussão sobre o ponto mais controverso do encontro – a proposta de quatro países-membros de criar uma estrutura militar européia independente da Otan (aliança militar liderada pelos Estados Unidos) – deverá ocorrer neste sábado em uma viagem de iate que os ministros farão à costa da Turquia.

Nesta semana, líderes da Alemanha, França, Bélgica e Luxemburgo se reuniram em Bruxelas para discutir essa possibilidade. (Clique aqui para ler mais.)

Na Turquia, os ministros devem se reunir com o chanceler do país, Abdullah Gul.