UE é alvo de 4ª carta-bomba em 3 dias

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de dezembro de 2003 as 14:41, por: cdb

Um escritório da União Européia (UE) em Haia, na Holanda, recebeu uma carta-bomba nesta terça-feira. O artefato não explodiu.

Este é o quarto pacote do gênero enviado a integrantes da alta burocracia européia nos últimos três dias.

A carta, com material inflamável, foi endereçada à sede do Eurojust, orgão que coordena os sistemas nacionais de Justiça do bloco europeu.

Especialistas afirmam que um grupo anarquista italiano contrário à UE poderia estar por detrás dos ataques.

Prodi

A Federação Informal Anarquista assumiu a responsabilidade por um dos ataques, no sábado, quando uma carta explodiu nas mãos do presidente da Comissão Européia, Romano Prodi, em sua residência em Bologna. Prodi escapou sem ferimentos.

Outras cartas foram enviadas ao presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, e à Europol, a polícia da UE.

As autoridades italianas e alemãs disseram estar investigando se as cartas são obra de uma pessoa só ou de um grupo.

Prodi contou que o pacote que recebeu continha um livro embalado num papel amarelo e estava endereçado à sua mulher. O livro havia sido cortado para a inserção de pólvora.

Os autores do ataque utilizaram um livro do escritor Gabriele D’Annunzio, morto em 1938, conhecido por sua simpatia ao fascismo.