Uber recebe investimento de US$ 3,5 bilhões da Arábia Saudita

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 2 de junho de 2016 as 14:40, por: cdb

Como parte do investimento, um diretor administrativo do fundo, Yasir Al Rumayyan, terá um assento no Conselho do Uber, disse a empresa em comunicado

Por Redação, com Reuters – de São Francisco:

O Uber arrecadou US$ 3,5 bilhões do fundo soberano da Arábia Saudita, disse o serviço de transportes urbanos, obtendo um parceiro essencial em sua expansão no Oriente Médio.

O investimento do Fundo de Investimentos Públicos da Arábia Saudita foi parte da mais recente rodada de financiamento do Uber, que avaliou a empresa de US$ 62,5 bilhões, disse o Uber, tornando-o a empresa financiada com venture capital mais valorizada no mundo.

O investimento do Fundo de Investimentos Públicos da Arábia Saudita foi parte da mais recente rodada de financiamento do Uber
O investimento do Fundo de Investimentos Públicos da Arábia Saudita foi parte da mais recente rodada de financiamento do Uber

Como parte do investimento, um diretor administrativo do fundo, Yasir Al Rumayyan, terá um assento no Conselho do Uber, disse a empresa em comunicado.

O Uber se comprometeu a investir US$ 250 milhões no Oriente Médio, onde tem crescido agressivamente. A empresa diz que 80 %  dos motoristas do Uber na Arábia Saudita são mulheres.

Valor da bitcoin

O preço da bitcoin se elevou para a máxima em quase dois anos, subindo mais de US$ 500 por unidade, com preocupações sobre um maior enfraquecimento do iuan guiando o aumento da demanda da China pela moeda digital.

Os volumes de negociações na bolsa chinesa de bitcoins (BTCC, na sigla em inglês) aumentaram em três a cinco vezes a sua média diária desde sexta-feira, de acordo com o presidente-executivo Bobby Lee, com os poupadores chineses se movimentando para proteger seu dinheiro ante uma desvalorização ainda maior do iuan.

A Bitcoin é uma “criptomoeda” que pode transferir dinheiro ao redor do mundo de maneira rápida e anônima, sem necessidade de uma autoridade central. Isto a torna atraente para aqueles que desejam contornar os controles de capital, como os da China.

Cerca de 95 %  de todas as negociações de bitcoin são feitas via bolsas chinesas, de acordo com o Coindesk, site do setor, então qualquer aumento na demanda chinesa pela moeda tem um impacto significativo.

O iuan enfraqueceu para mínima de 4 meses e meio na terça-feira. Investidores esperam novas desvalorizações, dadas as crescentes expectativas de um aumento nas taxas de juros dos Estados Unidos e sinais de que a economia chinesa, alimentada por crédito, está desacelerando novamente.

– As pessoas estão se preocupando sobre a desvalorização do iuan feita pelo PBOC (Banco do Povo da China) – disse o presidente-executivo da bolsa chinesa de bitcoins, Bobby Lee, em Hong Kong. “Se você está na China e está portando iuan, isto é um risco enorme, então eles estão comprando ativos tangíveis… A bitcoin é algo que é facilmente negociável, então é isto que está acontecendo.”

Apesar de ser defendida por alguns entusiastas como o dinheiro digital do futuro, a bitcoin frequentemente é desconsiderada por ser um investimento muito volátil. Depois de alcançar valor acima de US$ 1.100 em 2013, a moeda caiu para cerca de US$ 150 em 2015. Desde então, porém, se recuperou e foi a moeda de melhor desempenho no ano passado.

Na terça-feira, a bitcoin alcançou preço de US$ 548,50, maior valor desde agosto de 2014. Na quarta-feira, a cotação era de US$ 536,11 às 16h35 (horário de Brasília)