Turquia reabre rota para trânsito de petróleo e grãos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 16 de julho de 2016 as 14:44, por: cdb

Após tentativa de golpe na Turquia, os navios já podem navegar pelo Bósforo, que divide o lado europeu de Istambul de seu lado asiático

Por Redação, com Reuters – de Istambul:

As autoridades marítimas turcas reabriram o Estreito de Bósforo para o trânsito de navios após fecharem o local neste sábado por diversas horas após o que o governo chamou de uma tentativa de golpe por uma facção do Exército.

rota do petróleo
O Estreito de Bósforo é um dos pontos de bloqueio mais importantes para o trânsito marítimo de petróleo

Bósforo é um dos pontos de bloqueio mais importantes para o trânsito marítimo de petróleo, com mais de 3% da oferta global – principalmente da Rússia e do Mar Cáspio – passando através da hidrovia que conecta o Mar Negro ao Mediterrâneo. Ele também envia grandes quantidades de grãos da Rússia e do Cazaquistão aos mercados globais.

Neste sábado, forças leais ao governo turco lutaram para acabar com os remanescentes de uma tentativa de golpe militar, após disputas e violência em Ancara e Istambul.

A agência GAC afirmou que o tráfico estava aberto após ser fechado por diversas horas por razões de segurança e que os navios agora podiam navegar pelo Bósforo, que divide o lado europeu de Istambul de seu lado asiático.

Erdogan mais forte
O presidente turco, Tayyip Erdogan, se aproveitará de uma tentativa de golpe militar para fortalecer seu controle sobre o poder, disse Elmar Brok, presidente do Comitê de Assuntos Estrangeiros do Parlamento Europeu e aliado da Chanceler alemã.

Brok, membro sênior da União Democrata-Cristã, de Angela Merkel, falou ao jornal Die Welt durante a noite, enquanto legalistas de Erdogan lutavam pelo poder e o líder turco dizia a apoiadores que “limparia” o Exército.

“Erdogan tentará ampliar sua posição de poder”, disse o membro veterano do Parlamento Europeu, citado em entrevista publicada neste sábado, acrescentando que tal medida poderia levar a uma “divisão dramática” da sociedade turca.