Turquia dispersa protesto com tiros

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de maio de 2003 as 08:57, por: cdb

Cerca de 1.000 pessoas reuniram-se no centro da cidade turca de Bingol, nesta sexta-feira, para protestar contra alegadas falhas do governo na resposta ao terremoto de 6,4 graus na escala Richter que atingiu o sudeste do país na véspera, deixando cerca de 100 mortos.

Gritando e sacudindo os braços, os manifestantes lotaram uma praça. Forças de segurança deram disparos para o alto, para dispersar a multidão, fazendo as pessoas correr desesperadas, para todos os lados.

O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, percorreu a cidade na quinta-feira e prometeu que a ajuda do governo federal estava a caminho. Soldados estão trazendo comida, barracas e hospitais móveis.

A população de Bingol também acusa o governo de negligência, devido à fragilidade da construção dos prédios da cidade.

O medo de um outro sismo secundário forçou as equipes de resgate turcas a suspender temporariamente as buscas às crianças soterradas sob os escombros de uma escola.

As autoridades acreditam que 44 alunos ainda estejam debaixo dos destroços da escola, na periferia de Bingol.

As equipes de resgate que trabalham no dormitório da escola que desabou levaram equipamentos de rastreamento de som para tentar localizar sobreviventes.

Por volta das sete da manhã (hora local), mais um adolescente foi retirado com vida. De madrugada, outros sete meninos foram salvos, elevando a 117 o número de alunos e professores que sobreviveram ao desabamento.

Por toda Bingol, outras escolas, delegacias e prédios residenciais também foram reduzidos a escombros durante o terremoto, que durou 17 segundos e desencadeou quase 70 tremores secundários.

Um hospital foi atingido, mas, para socorrer as vítimas do abalo, as autoridades lançaram mão de unidades móveis que haviam sido montadas para atender a possíveis refugiados da guerra no Iraque.

Bingol está localizada na fronteira com o Iraque. Segundo o prefeito Feyzullah Karaaslan, 25 edifícios desabaram.