Tunísia descarta a possibilidade de encontrar sobreviventes do naufrágio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 21 de junho de 2003 as 14:50, por: cdb

As autoridades marítimas tunisianas afirmaram neste sábado, que há poucas esperanças de encontrar novos sobreviventes do naufrágio de uma embarcação com 250 imigrantes ilegais ocorrido na sexta-feira a cerca de 60 milhas da cidade de Sfax.

O balanço oficial da tragédia divulgado pela guarda costeira tunisiana já chega a 41 pessoas resgatadas com vida, 12 mortos e 197 desaparecidos.

Outras fontes das autoridades marítimas de Sfax informaram neste sábado que o número de corpos resgatados chegou a 45. Estes teriam sido levados a essa localidade para identificação.

Segundo a guarda costeira, a forte corrente detectada na região do naufrágio fez com que os desaparecidos afudassem e seus restos fossem encontrados à deriva a noroeste do local.

Os sobreviventes confirmaram que saíram na quinta-feira de uma praia da localidade líbia de Zuara com destino à ilha italiana de Lampedusa, no canal da Sicília.

O mau estado e a sobrecarga da embarcação causaram seu naufrágio em plena noite, longe do litoral. Os sobreviventes tiveram que nadar várias horas até serem localizados por um pesqueiro tunisiano que alertou por rádio a guarda costeira do país.

A maioria dos imigrantes ilegais procedia de países subsaarianos, entre eles Nigéria, Libéria, Gana, Chade e Sudão, e outros eram da Tunísia e do Marrocos, segundo os sobreviventes.

Um porta-voz da guarda costeira declarou neste sábado que as patrulheiras que se encontram na área do naufrágio têm como missão encontrar o maior número de corpos.