Tumulto quebra a paz entre UPP e moradores da Tabajaras

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 24 de março de 2010 as 14:21, por: cdb

Um incidente registrado no fim da noite desta terça-feira mostrou que nem tudo são flores nas relações entre moradores da Ladeira dos Tabajaras, em Copacabana, Zona Sul do Rio, e policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) que ocupam a comunidade desde o fim do ano passado.

Inconformados com a prisão de um homem, moradores da comunidade fecharam as ruas próximas e desceram para o asfalto quebrando orelhões e lixeira e no fim do tumulto 15 pessoas foram presas mas liberadas de madrugada.

Tudo começou quando policiais desconfiaram de três homens na comunidade. Quando foram abordados, um deles correu, enquanto os outros dois tentaram reagir à abordagem. De acordo com a polícia, ele já havia sido abordado na noite anterior, mas foi liberado. Gilson da Silva Júnior, de 21 anos, foi detido – pela segunda noite consecutiva – e como se recusou a se deixar revistar, foi autuado por desacato e levado para a delegacia.

Segundo a policial militar Rosana Alves, capitã da UPP da Ladeira dos Tabajaras, ele ainda fez menção de tentar pegar a arma de um dos policiais. Os moradores disseram ainda que os policiais deram tiros para o alto durante o tumulto.

Os moradores saíram em defesa de Gilson, com a destruição de lixeiras públicas e lixo espalhado pela Rua Tonelero. Os manifestantes seguiram para a 12ª DP – Copacabana, na Rua Hilário de Gouveia, onde continuaram o protesto em frente à delegacia. O resultado da manifestação foi a detenção de quinze pessoas. Segundo o delegado Antenor Martins Júnior, três tinham antecedentes criminais e todas as pessoas foram liberadas após prestarem depoimento.

O delegado confirmou que Gilson será encaminhado à exame de corpo de delito, assim como o policial militar que o prendeu. Segundo os policiais militares, no entanto, não houve tiros para o alto e o tumulto só aconteceu porque um dos homens se recusou a ser revistado. O comando da PM está avaliando a situação e iniciou investigações.