TRT estabelece regras para eleições no Sindicato dos Gráficos de São Paulo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 18 de abril de 2012 as 12:49, por: cdb

TRT estabelece regras para eleições no Sindicato dos Gráficos de São Paulo

Processo eleitoral deve ocorrer de 2 a 4 de maio

Por: Redação da Rede Brasil Atual

Publicado em 18/04/2012, 15:25

Última atualização às 15:42

Tweet

São Paulo – Reunião entre militantes da Força Sindical queocupam a sede do Sindicato dos Gráficos de São Paulo desde agosto do anopassado e integrantes da chapa ligada à CUT terminou em acordo para arealização de eleições para a direção da entidade. O encontro ocorreu ontem(17), na sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª região, na capitalpaulista, com a mediação do desembargador Manoel Antonio Ariano.

Pelo acordo, as eleições devem ocorrer de 2 a 4 de maio, com a participação de três chapas inscritas. Cada uma das 36 urnas destacadas para o processo eleitoral será acompanhada por um mesário presidente, indicadopela Comissão Eleitoral, mais um mesário e um fiscal indicados por cada uma das chapas.

Ao final de cada dia de coleta de votos, as urnas serãoguardadas em sala lacrada. O acordo permite que até cinco membros de cada chapapermaneçam no local até a reabertura da votação no dia seguinte.

Durante a disputa só poderão permanecer no interior da sede ostrabalhadores do sindicato, diretores e no máximo cinco membros de cada chapa.Os seguranças contratados pelas chapas deverão se posicionar fora da entidade sindical. Cinco mesas apuradoras realizarão a apuração na sede do Sindicato dos Gráficos de São Paulo. O acordo inclui ainda o pedido de forçapolicial para acompanhar o processo eleitoral.

Para o presidente do Sindicato dos Gráficos, MarcioVasconcelos, impedido de entrar na sede do sindicato desde que os militantes daForça Sindical tomaram a entidade, o acordo é positivo. “É um avanço. Fortalecea democracia que falta em algumas eleições sindicais”, disse.

Na sexta-feira (13), o TRT suspendeu eleição convocada pormilitantes da Força Sindical. Oprocesso eleitoral estava marcado para começar ontem (17)  e se estender até amanhã (19).  A decisão atendeu ao mandado de segurançaimpetrado pelo articulador da chapa ligada à CUT, Manoel de Almeida. Ostrabalhadores da chapa tiveram registro impugnado pelos militantes da ForçaSindical.