TRT determina que metroviários paulistanos, em caso de greve amanhã, mantenham 90% das atividades em horários de pico

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 31 de maio de 2011 as 16:25, por: cdb

Daniel Mello
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª Região determinou hoje (31) que, em caso de greve dos metroviário da capital paulista, seja mantido 90% das operações nos horários de pico (5h às 10h e 16h às 20h). No restante do dia, a liminar estipula que devam ser assegurada 70% das atividades.

Segundo o tribunal, que mediou as negociações entre os funcionários e a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô), a empresa ofereceu 6,39% de reajuste salarial, 1,3% de aumento real sobre os vencimentos, concessão de licença-maternidade de 180 dias e vale-refeição.

O Sindicato dos Metroviários classificou a proposta como “inaceitável” e vai decidir se a categoria entrará em greve em assembleia que marcada para o início da noite de hoje. Os trabalhadores pedem recomposição salarial de 10,79% e aumento de 13,90% para o vale-refeição.

O Metrô informou que, em caso de paralisação, será imediatamente adotado o Plano de Apoio entre Empresas de Transporte Frente a Situações de Emergência (Paese) a fim de amenizar os transtornos para a população. A SPTrans deverá readequar as linhas de ônibus e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) montará um esquema especial de trânsito. O Metrô também informou que vai garantir o acesso de seus empregados aos postos de trabalho e solicitou o apoio da Polícia Militar para reforçar a segurança nas estações.

 

Edição: Aécio Amado