Tropas dos EUA matam 15 militantes da Al-Qaeda

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 25 de janeiro de 2002 as 00:25, por: cdb

Choques no sul do Afeganistão deixaram 15 integrantes da organização Al-Qaeda mortos e um soldado americano ferido, nesta quinta-feira. Oficiais militares dos Estados Unidos disseram que o soldado americano, ferido no pé, já está fora de perigo. Os combates ocorreram durante uma operação das forças especiais americanas de “busca e destruição”, realizada na região de Kandahar, no sul do Afeganistão. O objetivo da ação era capturar militantes da Al-Qaeda leais ao dissidente saudita Osama Bin Laden, considerado pelos Estados Unidos o suspeito número um de planejar os atentados de 11 de setembro.

De acordo com analistas, os choques indicam que, apesar do bombardeio intenso dos EUA à região, as tropas americanas continuam enfrentando focos de resistência dos integrantes da Al-Qaeda e o combate ocorreu na véspera da visita de um dia do secretário-geral da ONU, Kofi Annan, ao Afeganistão, com o objetivo de encorajar o governo interino afegão na tarefa de reconstruir o país, devastado pela guerra.

O vice-representante especial da ONU no Afeganistão, Francesc Vendrell, disse por sua vez que a comunidade internacional deve enviar mais tropas ao país. Para Vendrell, a situação no sul do Afeganistão ainda não está clara. “Há vários grupos armados que não respondem agora ao comando central”, revelou.

Vendrell afirmou que o Afeganistão deverá precisar de uma força de cerca de 30.000 homens. No momento, existem 2.000 soldados no país, mas há planos para expandir as tropas de paz em 5.000 homens. Francesc Vendrell disse que o novo governo do Afeganistão precisa de reforço militar para exercer sua autoridade além da capital Cabul, o que é aceito pela opinião pública em todo o país.