Três palestinos e três israelenses morrem em Gaza

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 23 de setembro de 2004 as 09:38, por: cdb

Três palestinos armados que tentavam entrar em um assentamento judaico em Gaza mataram três soldados israelenses nesta quinta-feira antes de serem mortos a tiros, no maior número de baixas israelenses em territórios ocupados em quatro meses.

Os soldados mataram dois dos militantes palestinos em uma troca de tiros logo antes do amanhecer nas proximidades do isolado assentamento Morag, e o terceiro palestino foi emboscado horas depois. A Rádio do Exército israelense transmitiu ao vivo o som dos tiros.

O ataque em Morag, um dos 21 assentamentos que serão retirados de Gaza no próximo ano, segundo o plano do primeiro-ministro israelense Ariel Sharon, acontece um dia depois de uma mulher-bomba palestina matar dois policiais em Jerusalém.

Pesquisas dizem que a maioria dos israelenses é favorável ao plano de Sharon de sair de Gaza e de parte da Cisjordânia.

Um porta-voz do Comitê de Resistência Popular (CRP), organização que envolve outros grupos militantes, disse que os palestinos tentaram entrar em Morag sob forte neblina e mataram “três ou mais soldados” antes de serem mortos. Ele disse que um terceiro sobreviveu e telefonou para o seu comandante contando detalhes.

– Esta é uma operação tremenda – disse o porta-voz à Reuters.

O Exército de Israel confirmou as mortes dos soldados depois de levantar a censura imposta – a fim de comunicar as famílias antes – e disse que um quarto soldado ficou ferido sem gravidade.
O grupo CRP assumiu a responsabilidade conjunta com a Jihad Islâmica e com as Brigadas Abu Rish — organização do movimento Fatah, do presidente palestino Yasser Arafat.

Esse foi o maior número de baixas sofridas por soldados israelenses em um único dia desde maio, quando 11 soldados morreram em duas emboscadas contra veículos blindados.
Horas depois do tiroteio, o Exército israelense explodiu uma casa palestina perto do assentamento judeu de Netzarim, no centro da Faixa de Gaza. Segundo fontes militares israelenses, o Exército destruiu uma casa abandonada de onde eram lançados ataques contra soldados e colonos judeus.