Traficantes terão vigilância constante, diz Rosinha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de fevereiro de 2003 as 16:24, por: cdb

A governadora do Rio de Janeiro, Rosinha Matheus (PSB), determinou que 24 presos do complexo de Bangu sejam vigiados em tempo integral, um a um, por policiais do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais). Cada presidiário será vigiado individualmente para evitar contatos com o exterior das cadeias. As visitas íntimas estão proibidas.

O motivo é que esses presos, que seriam ligados ao Comando Vermelho, teriam transmitido orientações para os atentados no Rio de Janeiro, nos últimos dois dias. Entre eles, estão os traficantes Fernandinho Beira-Mar, Marcinho VP e Elias Maluco.

Além disso, Rosinha afirmou que 23 mil homens da Polícia Militar e 5 mil da Polícia Civil vão trabalhar em “caráter emergencial” no Carnaval. Ela agradeceu ao prefeito do Rio de Janeiro, César Maia (PFL), por ter atendido ao pedido de “empréstimo” de 4,5 mil homens da Guarda Civil Municipal.

A partir desta quarta-feira, a governadora disse que as Polícia Civil e Militar vão reforçar ações “pesadas” em redutos do crime organizado, a partir desta tarde. O objetivo é apreender armas, drogas e “reprimir badernas”.

Embora o governo federal tenha descartado a hipótese, Rosinha solicitou ao ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, o envio de 3 mil homens das Forças Armadas para atuar no combate ao crime organizado na capital fluminense.