Traficantes e policiais se enfrentam na madrugada, no RJ

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de maio de 2003 as 13:03, por: cdb

Traficantes do Rio voltaram a agir durante a madrugada do feriado do Dia do Trabalho.

Casos de tiroteios foram registrados em vários pontos da cidade e pelo menos um policial, ferido na perna, deu baixa no Hospital Geral de Bonsucesso.

No méier, bandidos dirigindo um Siena preto metralharam a cabine da PM que fica na Rua Dias da Cruz e logo depois fugiram em direção ao Morro do Gambá. O atentado, que ocorreu por volta das 3h da manhã, não deixou nenhum policial ferido.

Às 6h, o soldado Edmilson Cardoso Filho, lotado no Geat do 22º BPM (Benfica), foi baleado na perna, em Manguinhos, durante uma blitz na Rua Leopoldo Bulhões. Os bandidos, dentro de um Mercedez Classe A cinza, passaram pelo patrulhamento atirando contra os soldados . A PM resolveu, então, fazer uma operação nas favelas da Mandela e Varginha mas ninguém foi preso.

Em Bonsucesso, bandidos num Golf roubado e policiais do Batalhão de Choque trocaram tiros. Assustados com o barulho e temendo uma falsa blitz assaltantes, motoristas que passavam pelo entroncamento da Linha Vermelha com Linha Amarela, davam marcha ré.

De madrugada, o comerciante Maurício Gardelha Pinto, de 20 anos, foi abordado na Rua João Vicente, em Osvaldo Cruz, na Zona da Leopoldina. Um grupo, armado de fuzis e pistolas, tentava assaltar seu carro. Para escapar, Maurício tentou imprimiu maior velocidade. Os bandidos, numa Topik branca, dispararam contra o carro do comerciante.

Ferido nas costas, Maurício abandonou o carro na Rua Tácito Esmeriz e tentou escapar a pé, mas não resistiu aos ferimentos. Os criminosos fugiram sem levar o carro, que ficou com a lataria perfurada e o vidro traseiro estilhaçado. Os policiais do Batalhão de Rocha Miranda e da delegacia de Madureira que estiveram no local suspeitam que os bandidos sejam traficantes da favela do Muquiço.