Trabalhadores sem-teto fazem manifestação no Ministério das Cidades

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 24 de outubro de 2012 as 10:14, por: cdb

Trabalhadores sem-teto fazem manifestação no Ministério das Cidades

Por: Mariana Tokarnia, da Agência Brasil

Publicado em 24/10/2012, 12:11

Última atualização às 12:11

Tweet

Brasília – Um grupo deintegrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) está reunido desde o começo desta manhã a área em frente ao Ministério das Cidades,na Esplanada dos Ministérios. Segurando bandeiras e vestidos com camisasda organização, os trabalhadores reivindicam garantias para orecebimento de moradias do Programa Minha Casa, Minha Vida, e tambémmedidas para assegurar que um grupo de Brasília tenha uma área paramorar.

O comando do MTST informou à Agência Brasil que nolocal há 240 famílias. Seguranças do Ministério das Cidades, no entanto,não calcularam o número preciso de manifestantes. Não houve tumulto nemconfusão. Os trabalhadores aguardam uma resposta da assessoria doministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro.

Representantes do MTST conversaram com César Ramos, representante doMinistério das Cidades. Ele recebeu a pauta de reivindicações, queinclui queixas sobre o aumento da parcela para o financiamento do MinhaCasa, Minha Vida, dificultando a situação para muitos trabalhadores,segundo eles.

Há, ainda, um item que se refere aos moradores da antiga invasão deNovo Pinheirinho, em Ceilândia, nos arredores de Brasília. Os moradoresde Novo Pinheirinho, em Ceilândia, foram retirados do local há cerca deseis meses pelo governo do Distrito Federal. Um acordo permitiu que osmoradores passassem a receber R$ 448 mensais para se organizarem. Mas orepasse acabou no mês passado e o grupo diz que está em dificuldades.

O líder do MTST na ocupação, Edson da Silva, disse à Agência Brasil quehouve sinalização de assessores do Ministério das Cidades de que em dezdias será apresentada uma resposta aos apelos do movimento. Silva disseque o grupo continuará em frente ao prédio principal do ministério atéque alguma autoridade dê garantias de que as reivindicações serãoatendidas.