Torcidas trocam “elogios” no clássico entre Flu x Vasco

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 31 de outubro de 2002 as 23:27, por: cdb

Antes do começo do jogo, os 30 mil torcedores que foram no Maracanã assistir Fluminense e Vasco, nesta quinta-feira, no Maracanã, travaram um duelo com para de política: enquanto os vascaínos saudavam o presidente Lula, os tricolores debochavam do presidente do clube rival, Eurico Miranda, que não se reelegeu deputado federal.

Mas quando a bola rolou, o duelo das torcidas voltou ao normal, dando mais cor ao tradicional clássico carioca. Foi só o tricolor Romário colocar a mão na coxa esquerda que a torcida do Vasco atacou: “Bichado! Bichado!”.

Para provocar ainda mais o ex-camisa 11 cruzmaltino, a torcida se lembrou de Edmundo, artilheiro do Brasileiro de 1997 e desafeto de Romário: “Ah, é Edmundo. Ah é Edmundo”. Depois, um exemplo de violência verbal: “Romário, como é que é? O Edmundo já comeu sua mulher”.

Quando o zagueiro César abriu o placar no início do segundo tempo, a torcida do Fluminense revidou: “Ão, ão, ão, segunda divisão!”. A do Vasco respondeu na mesma moeda, lembrando a queda do Tricolor para a Terceirona: “Ão, ão, ão, terceira divisão”.

E assim foi até o apito final. O Fluminense conquistou a oitava posição na competição com a vitória por 2 x 1, enquanto o Vasco permaneceu com 23 pontos. Na noite das bruxas, a torcida tricolor deixou o Maracanã fazendo festa debaixo de chuva.