Tomada de Mosul deixa Tikrit como último alvo dos EUA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 11 de abril de 2003 as 10:31, por: cdb

A cidade petrolífera de Mosul, no norte do Iraque, foi tomada nesta sexta-feira sem confronto conforme os últimos membros do governo de Saddam Hussein desapareceram durante a noite.

A tomada de Mosul deixou Tikrit, a 177 quilômetros de Bagdá e a cidade natal de Saddam Hussein, como o último grande alvo do exército americano. Relatos fragmentados indicavam que membros da família de Saddam estariam se escondendo lá, talvez em preparação para o último confronto.

Em Mosul, como em outras áreas urbanas tomadas pela coalizão, o caos se espalhou pela cidade.

Bancos e hospitais, os alvos prediletos nas cidades tomadas anteriormente, foram saqueados. No banco central, os saqueadores brigaram tentando levar a maior quantidade de dinheiro possível.

Os principais caixas foram destruídos, e as cédulas lançadas ao chão.

Não houve vestígio de autoridade para controlar a multidão que se aglomerou nas ruas e no centro dos principais distritos.

Os soldados curdos controlavam os postos de controle, mas não eram uma presença óbvia na cidade.

As forças especiais americanas não foram vistas na cidade até o meio da manhã. O secretário de Defesa, Donald H. Rumsfeld, disse na noite passada que um pequeno número de tropas americanas estava na cidade.

A ansiedade da Turquia ficou iminente com a situação de Kirkuk, o centro de petróleo do norte tomado na última quinta-feira. A Turquia teme que a porção norte do Iraque, que prospera sob a proteção dos aviões anglo-americanos desde 1991, acabe, criando um exemplo para as aéreas curdas de seu próprio país.

O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Abdullah Gul disse na quinta-feira que o secretário de Estado, Colin R. Powell, prometeu que as tropas americanas removeriam os soldados curdos de Kirkuk, a cidade capturada na última quarta-feira.

O líder de um dos principais grupos políticos curdos, Jalal Talabni, que comanda a União Patriótica do Curdistão, disse que as forças curdas entraram em Kirkuk na quinta-feira para proteger os campos de petróleo das tropas iraquianas. Ele afirmou que as forças americanas as substituiriam rapidamente.

Alguns relatos disseram que o círculo íntimo da família Hussein estava usando Mosul como uma forma para tomar a Síria, mas que nesta sexta-feira a rota de escape provavelmente seria fechada.

Em Bagdá, a onda de saques e caos ganhou força após o anoitecer. Os hospitais novamente foram focos de saques. Homens armados tomaram um hospital infantil, no qual corpos de civis e soldados haviam sido reunidos.