Timor comemora 1º aniversário de independência

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 20 de maio de 2003 as 08:20, por: cdb

O Timor Leste comemorou nesta terça-feira o primeiro aniversário de sua criação como Estado independente.

Em uma cerimônia na capital, Dili, o presidente timorense, Xanana Gusmão, admitiu que o desenvolvimento do país tem ocorrido de forma lenta.

O presidente ressaltou, no entanto, a importância da manutenção da estabilidade na ilha ao longo dos primeiros 12 meses do país.

Ex-colônia portuguesa, Timor ainda busca se reerguer da destruição causada pelo conflito com a Indonésia e milícias armadas por Jacarta em 1999, após a população local ter votado pela independência em um referendo.

Uma parada militar com cerca de 10 mil homens das novas Forças Armadas cruzou as principais avenidas de Dili, embalada por canções de patriotismo.

A bandeira foi hasteada e a multidão presente respeitou um minuto de silêncio em memória aos mortos nos 25 anos de relações hostis com os indonésios.

Xanana Gusmão disse ter confiança no futuro de seu país.

– Observando os nossos erros, podemos continuar a servir ao país e seguir adiante – afirmou o ex-líder do movimento pela independência.

O presidente citou três prioridades de seu governo para o próximo ano: o estabelecimento do Estado de direito, o crescimento econômico e a consolidação dos governos locais.

O correspondente da BBC em Dili disse que o país ainda tem de lidar com graves problemas econômicos decorrentes do conflito armado.

Segundo Head, a retirada de parte dos funcionários da Administração Temporária da ONU em Timor Leste (Untaet, na sigla em inglês) também contribuiu para pior a situação local.

Na falta de comida, timorenses procuram algas marinhas comestíveis
As estatísticas sociais do país, apresentadas por agências de ajuda humanitária, pintam um quadro grave.

Cerca de 40% dos timorenses não conseguem suprir suas necessidades básicas, 60% da população é analfabeta e até 8% das crianças morrem antes de completar o primeiro ano de idade.

No mês passado, porém, em uma boa notícia para o país, Timor Leste e Austrália anunciaram a entrada em vigor de um acordo sobre a exploração de petróleo no mar que separa os dois países.

O tratado prevê que 90% dos royalties pagos pela extração de gás natural e petróleo no mar do Timor fiquem com o governo timorense – o que deve gerar uma receita de US$ 5 bilhões nos próximos 20 anos.