Tião Viana e Demóstenes Torres são indicados para comandar CPI do Apagão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 16 de maio de 2007 as 19:50, por: cdb

Os senadores Tião Viana (PT-AC) e Demóstenes Torres (DEM-GO) foram indicados, respectivamente, para os cargos de presidente e relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Apagão Aéreo, confirmou nesta quarta-feira a líder do bloco de apoio ao governo (PT-PCdoB-PSB-PR) no Senado, Ideli Salvati (PT-SC).

Segundo Ideli, não há possibilidade de este acordo entre governo e oposição ser rompido para excluir um representante da oposição da direção dos trabalhos da CPI.

– Nós temos nos pautado, aqui no Senado, por construir acordos até porque a gente entende que é melhor um bom acordo do que meia briga -, afirmou a senadora.

Os membros da comissão, definidos na terça, vão se reunir amanhã para escolher o presidente e o relator. Ideli Salvati, como os demais líderes da base, querem evitar que um eventual recuo no acerto feito com a oposição prejudique a tramitação das matérias de interesse do governo que estão paradas no Senado.

Na terça-feira, cinco das 14 medidas provisórias que ainda obstruem a pauta de votação foram apreciadas e aprovadas por conta de um acordo fechado com as lideranças partidárias. Foi acertada para hoje a votação de outras três MPs. Várias delas dizem respeito ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

A líder do PT acrescentou que o acordo revela a busca de governo e oposição para que os trabalhos no Senado, tanto das CPIs (crise aérea e ONGs) quanto em plenário, não sejam prejudicados.

– Isso tudo compõe a busca para encontrar o melhor caminho para que as coisas possam fluir -, afirmou.

Demóstenes Torres, por sua vez, ressaltou que a decisão dos líderes é de manter o foco naquilo que originou a CPI. Ou seja: a crise no setor aéreo, o acidente com o Boeing da Gol no ano passado e as denúncias de corrupção na Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero).