The Economist: “Austeridade em Portugal – Mais sacrifícios, menos resultados”

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 19 de outubro de 2012 as 08:44, por: cdb

“Em tempos mais alegres, antes da crise do Euro, um governo em Lisboa renomeou o Algarve como Allgarve, esperando atrair os turistas de língua inglesa. Agora a sagacidade portuguesa sugere renomear o país inteiro como Poortugal (Pobretugal)”, adianta a revista semanal inglesa.Artigo |19 Outubro, 2012 – 15:37 Foto de Paulete Matos.

A publicação refere ainda que, “perante os protestos furiosos e os editoriais fulminantes, tal humor mordaz representou uma resposta comedida ao projeto de Orçamento para 2013 que Vítor Gaspar, o ministro das Finanças, apresentou no dia 15 de outubro”.

“Raras vezes manifestantes, economistas e políticos foram tão unidos na descrição dos planos: ‘brutal’, ‘um crime contra a classe média’, uma ‘bomba atómica fiscal’” adianta The Economist, que sublinha ainda que “poucos concordam com o argumento do Sr. Gaspar de que ‘este é o único orçamento possível’ e que questioná-lo é correr o risco de ser submetido a uma ‘ditadura da dívida’ com Portugal condenado a depender dos seus credores oficiais indefinidamente”.

A publicação faz também referência à participação de eleitores dos principais partidos, “que acreditam que espremer as famílias de trabalhadores não é apenas desnecessariamente doloroso, como também sufoca o crescimento”, nos recentes protestos que tiveram lugar em várias cidades do país.