Testemunha que incriminou Lacerda mentiu em depoimento, diz PF

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 27 de outubro de 2006 as 15:42, por: cdb

O superintendente da Polícia Federal em Mato Grosso, delegado Daniel Lorenz, afirmou nesta sexta-feira, que o testemunho dado à Polícia Federal por Agnaldo Henrique Lima, que afirma ter levado R$ 250 mil ao ex-coordenador da campanha do senador Aloizio Mercadante (PT) ao governo de São Paulo, Hamilton Lacerda, é uma farsa.

– As declarações deles não se mostraram verdadeiras. Não comprovamos as movimentações com documentos”, – disse.

Agnaldo será indiciado por falsidade ideológica, segundo o policial. A testemunha procurou jornais da região de Pouso Alegre em Minas Gerais e gravou entrevistas afirmando que teria levado dinheiro para Lacerda.

Convocado a depor à PF, ele foi ouvido em Varginha (MG) e afirmou que teria recebido em sua conta uma transferência no valor de 80 mil reais, que teria sido juntados a outros 170 mil reais. Todo o dinheiro, segundo suas declarações, teriam sido levados para Lacerda em São Paulo.
O montante teria sido repassado a ele por seu patrão Luiz Silvestre. O delegado disse que “não há consistências em suas declarações”.

Segundo a assessoria de imprensa da PF, em Brasília, Agnaldo foi levado à mídia por Rosely Souza Pantaleão, que se apresentou como jornalista. As investigações do órgão descobriram que ela é servidora pública em Pouso Alegre e secretária-executiva do PSDB local.